Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de março de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Governo quer estender Bolsa Família a 11,2 milhões

9 Set 2004 - 09h43
O programa Bolsa Família promete atender, até o final do governo, as 11,2 milhões de famílias que estão abaixo da linha de pobreza. e chegará ao fim deste ano com mais da metade beneficiada com recursos de até R$ 95 mensais, o que representa 6,5 milhões de famílias.

O secretário nacional de Renda e Cidadania, André Teixeira, disse que a prioridade é dar condição de sustento às famílias. "Com esse dinheiro, elas sanam suas necessidades mais básicas, como a compra de alimentos", disse.

A meta, estabelecida pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva, deverá ser atingida, segundo prognósticos de técnicos do ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, com a transferência de famílias beneficiadas em outros programas como o Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Cartão Alimentação do Programa Fome Zero e Auxílio Gás.

A prioridade é para as famílias do Bolsa Escola e as que recebem o benefício médio de R$ 24. Para isso, as prefeituras precisam atualizar os dados das famílias cadastradas. A inserção das famílias no cadastro único de benefícios do governo federal é feita pelas prefeituras e a inclusão das famílias no benefício cabe ao Ministério do Desenvolvimento Social. "O programa é uma prioridade do próprio presidente Lula, é uma prioridade do governo brasileiro", afirmou Teixeira.

O Bolsa Família atende a famílias com renda per capita de R$ 100 e paga benefícios entre R$ 50 e R$ 95, dependendo do número de filhos. A condição é que as crianças com idades de 6 a 15 anos estejam matriculadas na escola e com freqüência de até 85% das aulas. As famílias com filhos de até seis anos de idade têm que cumprir o calendário de vacinação e as gestantes são obrigadas a fazer exames do pré-natal.

As contrapartidas para ter direito ao benefício são estabelecidas por lei e acompanhadas pelos ministérios da Educação e da Saúde. Antes da criação do Bolsa Família, instituído por Medida Provisória em outubro do ano passado e mantido por lei de janeiro deste ano, o controle da freqüência escolar atingia 57% dos municípios em 2002. Isso correspondia a 13% das escolas. Até o final de 2003, o controle chegou a 91% dos municípios.

Agora, o governo vai oferecer um sistema mais eficiente de controle das contrapartidas. Em novembro, o ministério do Desenvolvimento Social colocará na Internet a lista com os nomes das crianças entre 6 e 15 anos do Bolsa Família matriculadas na escola. Antes, o controle era feito por formulários impressos enviados às prefeituras. Essas, por sua vez, repassavam o material para as escolas. Só o relatório devolvido ao ministério da Educação era digitalizado. " O nosso esforço, primeiro, é de construir soluções tecnológicas que permitam aos gestores municipais estarem acompanhando a freqüência escolar", explicou Teixeira.

O acompanhamento do Ministério da Saúde está dimensionado atualmente para 1,9 milhão de famílias e será reestruturado para atender a todo o Bolsa Família até o fim do ano, com a criação do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), segundo o secretário.
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - PACOTE DE PÁSCOA
Que tal curtir o feriado de Páscoa em Bonito MS?, confira o pacote especial do Águas de Bonito
TERROR NA ESCOLA
Homem é morto a tiros enquanto buscava filho na escola
TARADÃO
‘Peladão’ aterroriza mulheres em bairro nobre
MUNDO MEDONHO
Apaixonada pelo genro, sogra rouba nudes dele no celular da filha
QUEIMOU
Mulher queima partes íntimas do marido ao descobrir que ele abusava da filha – Veja VÍDEO
ASSALTANTES
Ônibus de turismo é parado a tiros por ladrões. Motorista foi baleado
SOFRE BULLYING
Estudante posta foto com pistolas e ameaça invadir escola
DROGAS
Mulher morre após cinco horas de sexo sem interrupção
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira algumas das promoções que O Boticário tem para você em Fátima do Sul
LAVA-JATO
Michel Temer é preso pela Lava Jato; PF faz buscas por Moreira Franco