Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Governo precisa desburocratizar o crédito, afirma Ramez

6 Ago 2004 - 08h17
O senador Ramez Tebet (PMDB) afirmou hoje, durante entrevista ao programa Capital News, que o produtor brasileiro precisa ser mais atendido com a questão de crédito. “Para desburocratizar o crédito depende de ação governamental. Não precisaria nem Medida Provisória nem Lei. Com portarias internas dos estabelecimento bancários já resolveria”, afirmou.

Ramez considerou “absurda” a situação verificada dentro do Banco do Brasil, que comprou ingressos, a um custo de R$ 70 mil, de um show cuja renda seria revertida para a compra da sede do PT. “É um absurdo o BB gastar 70 mil para construir a sede de um partido, num momento em que se discute a erradicação da fome. Para se tirar um trator leva-se mais de seis meses para conseguir o crédito”, afirmou.

O senador também questionou a forma com que o Banco do Brasil direciona alguns recursos que possui. “Quando se quer patrocínio do Banco do Brasil para qualquer atividade em mato Grosso do sul é a maior dificuldade porque liberam tudo para São Paulo”, explicou.

 

 

Mídia Max News

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos