Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Governo inicia trabalho para detectar contaminação do solo

31 Ago 2004 - 15h36
O governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Saúde e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, iniciou hoje o uso do sistema Vigisolo, cuja finalidade é conhecer, detectar e controlar fatores ambientais de risco e outros agravos à saúde predominantes da contaminação no solo.

Como primeira etapa da implantação, os técnicos realizarão levantamentos visuais nos entornos, relacionando principalmente as populações expostas e o ecossistema vulnerável, como o aqüífero Guarani e o Pantanal. As principais áreas a serem levantadas pelas equipes serão focadas nas questões agrárias, depósitos de agrotóxicos, indústrias frigoríficas, curtumes , serralherias, usinas de açúcar e álcool e mineradoras.

Uma consultoria técnica do Ministério da Saúde estará acompanhando os trabalhos, subsidiando planejamentos e estratégias, favorecendo assim ações desencadeadas e direcionadas para uma melhor finalização dos trabalhos no estado.

Segundo Márcio Toledo, coordenador da Vigilância Sanitária no Estado, “este trabalho visa o aprimoramento de todas os órgãos e entidades diretamente relacionados , cuja participação das secretarias municipais é importante, porque está agregada a informações e a outros trabalhos de ONGs e fundações ligados ao meio ambiente, pesquisas minerais, indústrias e saneamento básico, visando a tornar com isso uma integração maior na vigilância em saúde de forma mais eficaz”, frisou.

De acordo com o diagnóstico Nacional de Áreas com Solos Contaminados, realizado pela Coordenadoria Geral de Vigilância Ambiental e Saúde (CGVAM), as informações sobre as áreas serão monitoradas e cadastradas em um banco de dados do programa, cuja finalidade será controlar as oito variáveis que são as áreas de disposição final de resíduos urbanos e industriais, unidades de posto de abastecimento de combustíveis,áreas de passivo ambiental e de contaminação natural.

Segundo Toledo, “algumas doenças não são visíveis e não são de diagnóstico fácil, porque são adquiridas em áreas de trabalho junto ao solo contaminado, e em geral é um processo longo de incorporação do contaminante que afeta ou afetou o solo, mas que no geral afeta diretamente a saúde da população envolvida. As doenças mais comuns relacionadas a estes agravos são as doenças pulmonares, musculares e até cardíacas”, explica.

Segundo estimativas do Ministério da Saúde, o programa Vigisolo, deverá estar em pleno funcionamento até novembro de 2004 em todos os estados da federação.Mais informações na Coordenadoria de Vigilância sanitária de Mato Grosso do Sul, fone(67) 318-1722.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação