Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 17 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Google proibirá anúncios de venda de trabalhos acadêmicos

23 Mai 2007 - 05h28
Atendendo ao pedido de universidades, o site Google vai proibir, a partir do próximo mês, anúncios que vendam trabalhos acadêmicos como teses e dissertações. Diversas universidades têm reclamado que alunos estão apresentando dissertações e ensaios padronizados vendidos pela internet.

As universidades elogiaram a medida tomada pelo site, que é uma das mais populares páginas de busca da internet. Já empresas que vendem trabalhos acadêmicos alegam que a atividade é legítima e se disseram injustamente punidas. O Google já notificou as empresas.

"Dificultar a vida destas cínicas indústrias de ensaios pela internet é um passo na direção certa", disse o professor Drummond Boné, presidente da associação de universidades britânicas Universities UK.

"Nós apoiamos esta decisão. Sites de dissertações acadêmicas alegam que estudantes pagam centenas de libras por respostas padronizadas, mas que não entregam os trabalhos com os seus nomes. Nós todos sabemos que esta alegação é absurda."

Até R$ 20 mil

De acordo com a entidade, alguns trabalhos chegam a ser vendidos por 5 mil libras (cerca de R$ 20 mil). A Universities UK diz que 12 mil trabalhos acadêmicos são vendidos pela internet por ano.

As dissertações são escritas por acadêmicos freelancers ou por outros estudantes e podem ser facilmente identificados por softwares de plágio usados pelas universidades.

O Google disse que sua política de anúncios é "desenvolvida e avaliada de acordo com múltiplos fatores como considerações legais e culturais, além da experiência dos usuários e consumidores".

Um porta-voz da empresa disse que a proibição será adotada nos sites Google em todo o mundo. O Google já proíbe propagandas de alguns serviços considerados inaceitáveis pela empresa como armas, tabaco, documentos falsos, curas milagrosas e prostituição.

A empresa britânica Essaywritter.co.uk, que trabalha no ramo, criticou a decisão do Google, responsável por 80% dos seus clientes.

O diretor Matthew Wilson alega que a empresa está sendo punida apesar de atuar em um ramo legítimo e transparente, já que a Essaywritter.co.uk avisa os alunos que eles não devem usar o material de forma desonesta.

Wilson disse que um serviço que oferece ensaios exclusivos em tão pouco tempo por cerca de 70 libras (aproximadamente R$ 280) pode ajudar alunos que buscam auxílio extra.

Estudantes fora da Grã-Bretanha também consomem o serviço. Wilson disse que com a proibição dos anúncios no Google, o site de buscas vai acabar conduzindo muitos alunos a sites nocivos, acusados de enganar os seus clientes com ensaios de baixa qualidade.

 

 

BBC Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto