Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 22 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Goleiro Bruno divide ala de presídio com megatraficante

8 Set 2010 - 11h46Por R7

Acostumado a festas, onde era cercado por mulheres seja em seu condomínio de luxo no Rio de Janeiro, seja em seu sítio com piscina em Minas Gerais, o goleiro Bruno Fernandes - acusado de matar a ex-amante Eliza Samudio - vive agora uma rotina bem mais modesta no presídio de Bangu 2, na zona oeste da capital fluminense.

O atleta, que já foi estrela do Flamengo, divide a área em que está isolado com seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, - também acusado de matar Eliza - e com Francisco Paula Testas Monteiro, mais conhecido como Tuchinha, criminoso condenado a 43 anos de prisão porque atuava como chefão do tráfico na Mangueira, favela da zona norte do Rio.

A área chamada de Banguzinho é composta por oito celas pequenas e por um espaço central para o banho de sol - cada um deles ocupa uma cela. No lugar, eles conseguem conversar, apesar de estarem isolados.

Bruno chegou ao Rio no último dia 26. Ele tem prisão preventiva decretada pela Justiça de Minas Gerais sob a suspeita de ter participado do sumiço e da morte de Eliza, que desapareceu em 9 de junho passado. A jovem foi morta em Vespasiano, de acordo com as investigações da polícia mineira. No Rio, o goleiro foi denunciado por agressão, sequestro e tentativa de aborto. Por isso, a dupla vai passar 30 dias em Bangu para participarem de audiências de testemunhas no Fórum de Jacarepaguá, na zona oeste.

A Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) isolou o goleiro para garantir a segurança dele. Somente outros dois presos ocupam essa ala. O atleta foi colocado nesse espaço para evitar possíveis problemas com outros detentos.

...Bruno já esteve com Tuchinha antes. Assim que foi preso, no Rio, em 7 de julho, o goleiro passou a noite em uma delegacia e, no dia seguinte, foi encaminhado para Bangu. Naquela ocasião, o atleta já havia divido a ala com o traficante.

Ao menos nessa ala, os presos não usam uniformes. O traje habitual costuma ser bermuda, camiseta e chinelos.

O goleiro, assim como os demais presos dessa parte de Bangu 2, não tem direito a visitas de parentes e de amigos, somente de advogados. Para distração, os detentos tem acesso a TV e material para leitura.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara