Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 18 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Funcionários dos Correios podem ser anistiados

27 Jul 2004 - 14h28
A Câmara está analisando o Projeto de Lei 3618/04, do deputado Lindberg Farias (PT-RJ), que anistia os funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) punidos por participação em greves. Os trabalhadores dos Correios que sofreram punições após a promulgação da Constituição Federal de 1988 terão asseguradas a contagem do tempo de serviço, a progressão salarial e o pagamento das contribuições previdenciárias do período que foi prejudicado.
Segundo Lindberg Farias, entre março de 1997 e março de 1998 foram demitidos sumariamente, sem justa causa, cerca de 1.500 empregados da ECT com o intuito de pressioná-los a não entrar em greve. "Se na iniciativa privada tais arbitrariedades já são inaceitáveis, em empresas públicas chegam a constituir aberrações jurídicas", considera.
A proposta, que está aguardando votação na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, tem como relator o deputado Tarcísio Zimmermann (PT-RS). Ele defende a aprovação do projeto, pois considera a situação inaceitável. "Qualquer punição aos trabalhadores que estão lutando de forma legítima por seus direitos trabalhistas esbarra em previsões constitucionais e até mesmo em dispositivos previstos em normas infraconstitucionais", afirma o relator.
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania ainda examinará o projeto, que poderá seguir direto para o Senado se for aprovado, por tramitar em caráter conclusivo.

Projeto semelhante no Plenário
O Projeto de Lei 3462/00, do deputado Paulo Rocha (PT-PA), também anistia trabalhadores dos Correios que foram punidos por participarem de movimento grevista em 1997 e 1998. Essa proposta já foi aprovada pela Câmara, mas recebeu emenda do Senado que determina que a lei só vai gerar efeitos financeiros a partir de sua publicação. A emenda está pronta para ser votada em Plenário.
Segundo Paulo Rocha, antes mesmo do início do movimento grevista, ocorrido em protesto contra o descumprimento de dispositivos do Acordo Coletivo de Trabalho, a empresa demitiu 200 funcionários por justa causa, além de ter punido outros servidores da empresa e feito alterações unilaterais de contrato. O caso foi denunciando à Organização Internacional do Trabalho (OIT), em reunião ocorrida em 1998.
 
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Silvio Santos se pronuncia sobre polêmica com Claudia Leitte e reage a campanha feminista
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Sóstenes cometeu crime por amor a Luz
ABUSO SEXUAL
João de Deus se entrega para a polícia
ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo