Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Funasa de MS participa de reunião sobre saúde indígena

14 Set 2010 - 10h44Por Dourados News
A Fundação Nacional de Saúde de Mato Grosso do Sul (Funasa/MS) participa nesta quarta-feira (15/09) em Brasília na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) de uma Oficina de Planejamento das ações para o fortalecimento do Serviço de Saúde.

Serão dois dias de reuniões e apresentações de painéis sobre vigilância e segurança alimentar e nutricional com pesquisadores e técnicos de outras instituições, como a Universidade de Campinas (UNICAMP), IBFAN-Brasil e FIOCRUZ.

A Funasa desde o final do ano passado vem realizando um estudo sobre a situação nutricional de indígenas que vivem em dois estados com perfis epidemiológicos, geografia e etnias distintas. Este trabalho é apoiado por representantes de cinco agências das Nações Unidas no Brasil (OPAS, UNICEF, PNUD, OIT e FAO) com intuito de discutir a implementação de ações na Atenção Básica à Saúde dos povos indígenas.

As regiões avaliadas para inclusão de ações específicas voltadas ao combate da desnutrição, mortalidade infantil e acompanhamento de gestantes, estão localizadas em Mato Grosso do Sul (que possui a segunda maior população indígena do país), mais especificamente nas aldeias do município de Dourados e no Distrito Sanitário Especial Indígena da região Alto Solimões, na Amazônia, extremo norte do país, onde se concentra a maioria da população e o acesso mais difícil à execução das ações de saúde.

O Projeto financiado por um fundo espanhol, consiste em reduzir casos de desnutrição e mortalidade infantil na população indígena, utilizando novas técnicas na alimentação inclui também ações de capacitação voltadas à Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI), visando maior integração dos técnicos responsáveis pela Assistência à Saúde da população indígena.

A Coordenação Regional de Mato Grosso do Sul participará do evento com a presença de sete profissionais de saúde convidados pela OPAS que desenvolvem trabalhos voltados à comunidade indígena em todo Estado (68 mil índios de oito etnias), como o ex-diretor do Departamento de Saúde Indígena (DESAI), Wanderley Guenka, que ajudou a implantar desde 1999 as primeiras ações de saúde em Mato Grosso do Su, o chefe do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI-MS) Nelson Olazar, o chefe das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) Zelik Trajber, o enfermeiro Newton Gonçalves Figueiredo e os nutricionistas Sheila Gomes do Prado, Antônio Passoni e Antônia Flores.

A apresentação que terá como referência o Pólo Base de Dourados (MS), será realizada às 9h40 do dia 15, no auditório da sede da OPAS em Brasília.

A apresentação seguinte agendada para 10h10, vai abordar os resultados das ações alcançadas no Distrito Sanitário de Alto Solimões no Amazonas, e será feita pelo Chefe do DSEI Plínio da Cruz.
De acordo com o Coordenador Regional da Funasa de MS Flavio Britto, “este convite da OPAS celebra o reconhecimento de todas as ações e programas de saúde desenvolvidos pelo DSEI de MS, principalmente sobre vigilância nutricional às crianças indígenas da região sul, reduzindo sensivelmente os quadros de desnutrição e morte”, ressaltou Britto.

“Hoje alcançamos um índice de mortalidade infantil no Pólo-Base de Dourados inferior a 20/1000 nascidos vivos, que em 2000 era de 141/1000, o que ressalta a importância do Projeto para a melhoria na saúde indígena. O interesse e apoio de todas essas entidades em melhorar os índices de saúde da comunidade indígena do Estado é um incentivo a mais para o trabalho de nossas equipes”, destaca Wanderley Guenka.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico