Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

“Fui injustiçado vou provar que não sou corrupto”, diz Marcelo Barros

16 Set 2010 - 15h03

 

O vereador Marcelo Barros (DEM) quebrou o silêncio que mantinha desde o dia da deflagração da Operação Uragano, da Polícia Federal, que o envolveu como suspeito de compactuar com o prefeito Ari Artuzzi e outros vereadores de esquema de corrupção e fraudes em licitações. Marcelo , que foi prejudicado em suas pretensões como candidato a deputado estadual, assegurou com convicção que é “inocente nesta farsa toda que foi montada”, acrescentando que vai às “últimas consequências para provar que não tem envolvimento algum com a quadrilha que tomou de assalto a prefeitura nos últimos meses”.

 

Marcelo Barros mostrou documentos que comprovam que desde a sua posse como vereador vem denunciando os desmandos e falcatruas cometidos pela administração. “Todas as mazelas e fraudes que apareceram agora, denunciadas pelo senhor Passaia, já haviam sido denunciadas por mim”, lembrou o vereador estranhando que agora o secretario de Artuzi “que sempre foi beneficiado pelo esquema corrupto que defendia, tenha tido um rompante de honestidade e envolvido pessoas de bem na confusão que armou”. Marcelo questiona as reais intenções do jornalista nesse episódio e indaga: “a quem ele estava servindo, de fato?”

 

Entre as fraudes que estão expostas na mídia somente agora, Marcelo lembra que denunciou, entre outras coisas, o superfaturamento do transporte escolar, a empresa que realizava mais de 80 serviços dentro da prefeitura e funcionava em um casebre, a extorsão que o prefeito pretendia fazer com o aumento do IPTU e ainda a “farra com dinheiro público” na contratação de empresas para realizar limpeza na cidade, entre uma dezena de outras arbitrariedades e ainda os desmandos com a saúde onde se desviava dinheiro público deixando a população sem remédios e atendimento digno.

 

Marcelo Barros acredita que uma das razões para ter sido envolvido por Passaia nesta trama é o fato de estar “bem nas pesquisas de intenção de voto para a vaga que disputo como candidato a deputado estadual”. O vereador afirma que por várias vezes recebeu aviso de “mensageiros” do prefeito que deixava clara a sua intenção em “acabar com o Marcelo Barros”. “Por fazer oposição eu era encarado como inimigo do Ari Artuzi e muitas vezes sofri agressões e ameaças por conta disso”, revelou.

 

“Já disse uma vez que ameaças não me calariam. Agora garanto a todos que não vou desistir diante desta falsidade que levantaram contra minha pessoa”, ressalta Marcelo Barros ao avaliar como “derrota em uma batalha”, mas não o fim da guerra contra a corrupção que emperrava o desenvolvimento da cidade de Dourados e que ele sempre denunciou na Câmara de Vereadores.

 

O vereador disse entender o sentimento de revolta das pessoas diante de tanta “bandalheira”, mas destaca que é preciso dar condições e tranqüilidade para que tudo se resolva de acordo com as normas e leis existentes. “No meu caso vou provar que diante da insistência do senhor Passaia em me subornar eu armei um flagrante para responsabilizá-lo e ele simplesmente não pareceu na hora e local combinados”, revelou Marcelo Barros.

 

“Continuarei morando em Dourados. Não vou fugir de minhas responsabilidades. Fui eleito para cumprir um mandato de vereador e vou continuar honrando todos aqueles que confiaram e ainda confiam em mim”, desabafou o vereador. Quanto à campanha eleitoralç, na disputa pela vaga de deputado estadual, Marcelo tem a consciência de que “agora tudo ficou mais difícil”, mas não vai retirar sua candidatura em respeito aos que o apóiam.

 

Marcelo  Barros acredita que muita coisa ainda irá acontecer deflagrada pela Operação Uragano que a Polícia Federal realizou em Dourados. “Estamos tranquilos com relação à nossa participação neste episódio e certos de que o caminho a seguir, independente de quem seja o prefeito de Dourados, é continuar fiscalizando e denunciando; cumprindo o papel do vereador”, concluiu.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico