Menu
SADER_FULL
segunda, 25 de março de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Frigorífico de peixe já funciona

27 Set 2004 - 07h44
Desde sexta-feira, 24, já está funcionando a primeira agroindústria para a filetagem de peixe do Programa Prove-Pantanal. O governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário e o Idaterra entregou aos produtores da Cooperativa de Piscicultores de Mundo Novo-Coopisc o Frigorífico de Filetagem de Peixe. A obra custou R$ 106 mil e foi construída com recursos do Fundo de Investimento Social-FIS, em parceria com a Prefeitura de Mundo Novo.
Estiveram presentes durante a cerimônia de inauguração o presidente do Idaterra, Humberto Mello Pereira, o presidente da Coopisc Alcindo José Bork, além de outras autoridades locais. Um grupo de piscicultores cooperado de Dourados também visitou o local, para conferir a experiência de sucesso dos colegas de Mundo Novo. “Estamos muito felizes pela conquista dos nossos companheiros aqui e isso serve de exemplo e estimulo para todos nos que criamos os nossos peixes em pequenas propriedades” disse Ademar Ferreira, presidente da MSPeixe.
O presidente do Idaterra, Humberto Mello destacou que “Mato Grosso do Sul, já é referência para todo país, em relação à piscicultura e agora ainda mais com a criação desse frigorífico”. durante o discurso de inauguração, Alcindo Bork, presidente da Coopisc, falou da importância do frigorífico- “Com a criação do frigorífico temos mais credibilidade. Antes ou o pesque-pague comprava o nosso peixe, ou a gente tinha que ficar no prejuízo. E a única maneira da gente conseguir competir é através da industria”.
USINA DE LEITE
Mundo Novo conta agora também com uma Usina de Resfriamento e Pasteurização de Leite. Esta unidade vai beneficiar diretamente 35 famílias de leiteiros da região do Município de Mundo Novo e é resultado de parceria entre a SDA/Idaterra e Prefeitura , atendendo emenda parlamentar do deputado estadual Pedro Kemp, através dos recursos do FIS destinados às emendas parlamentares.
O presidente do Idaterra Humberto Mello fez uma visita técnica no prédio onde vai funcionar a usina e assistiu uma demonstração de todo o processo desde a chegada do leite “in natura”, passando pelo processo de pasteurização até o ensacamento, foi feita por Carlos Alexandre um dos produtores da ASPROLEITE- Associação dos Produtores de Leite de Mundo Novo. Na ocasião, ele também recebeu em nome dos outros beneficiados o certificado do treinamento e capacitação que foi realizado pelo Idaterra em parceria com a Prefeitura Municipal e Maq-Inox que é a empresa que vendeu aos produtores todo o maquinário do laticínio.
A promotora de Justiça Bianka Karina Barros da Costa, que durante um ano e meio fez um trabalho de conscientização com a população sobre os perigos da venda e consumo do leite “in natura” também participou da visita e salientou que- “ Agora além dos habituais compradores, eles poderão vender para as padarias e mercados da região. E eu tenho certeza que aqui em Mundo Novo ninguém mais vai vender leite em garrafa pet”, disse. A venda do leite de caneca, como é conhecido, é proibida por lei. O preço do leite produzido pelo laticínio deve ficar em torno de R$ 0,80 o litro.
 
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

MOSTRA MONITORAMENTO
Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação
CRIME NA MADRUGADA
Mulher é brutalmente assassinada; carro foi visto deixando o local
CRIMINOSO FORAGIDO
Homem invade apartamento para roubar e estupra adolescente
FAMOSIDADES
Leonardo não foi ao casamento da filha, Jéssica, porque se irritou com o "cache" recebido pelo casal
DOENÇA TERRIVEL
Jovem com câncer terminal foge de hospital, realiza desejo de comer hambúrguer e morre
SUICIDIO
Técnica de enfermagem tira a própria vida dentro de banheiro de hospital
PACOTE PÁSCOA NO CAMPO BELO RESORT
Campo Belo Resort com pacote especial para a PÁSCOA, Confira aqui e já faça sua reserva
CORAJOSA
Mulher reage a assalto e dá surra em bandido
DESUMANIDADE
Motorista morre em acidente com caminhão e carga de frango é saqueada
LOTERIA
Loterias do final de semana podem pagar mais de R$ 23 MILHÕES