Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Formação de ministério de Dilma reacende divisão no PT

6 Nov 2010 - 10h48Por Agência Estado
A formação do futuro ministério de Dilma Rousseff ressuscitou disputas internas no PT paulista. Setores do partido defendem que o senador Aloizio Mercadante, candidato derrotado ao governo do Estado, seja nomeado para uma pasta, de preferência Cidades ou Planejamento. A bancada federal no Congresso não apoia a escolha do senador.
 
Deputados federais pleiteiam a indicação de José Genoino, que não conseguiu se eleger, ou outro parlamentar eleito. A escolha de Genoino por Dilma é remota. Aliados da futura presidente consideram que se resolver contemplar o PT paulista na nova composição da Esplanada Dilma escolherá Mercadante. Dificilmente enfrentará o desgaste de nomear para o ministério um réu no processo do mensalão, como é o caso de Genoino.
 
O senador viajou com o presidente Lula para a Argentina, dois dias antes da eleição, para o velório do ex-presidente Néstor Kirchner. O gesto de Mercadante de abrir mão de uma reeleição relativamente tranquila no Senado para embarcar numa disputadíssima sucessão estadual com Geraldo Alckmin (PSDB) aumentou o cacife político do petista junto ao presidente, que tem aconselhado Dilma sobre a composição do ministério.
 
O pleito central da bancada federal petista é o Ministério do Turismo. Além das possibilidades de incremento orçamentário com a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016, a pasta é cobiçada pela facilidade de recepcionar emendas orçamentárias. Os deputados apresentam as emendas e faturam politicamente em seus redutos eleitorais.
 
Um dos que defendem a indicação de um parlamentar para o Turismo é João Paulo Cunha, também envolvido no escândalo do mensalão. Eleito deputado, Cunha busca seu fortalecimento político e sinalizou que pretende disputar a presidência da Câmara.
 
A indicação de Marta Suplicy, eleita ao Senado, é colocada em dúvida pelos petistas do Estado. Apesar do êxito eleitoral, ela deixou arestas na disputa. Dirigentes do partido consideram que a petista isolou-se durante a campanha, preocupada apenas com o voo solo. Ao longo da disputa eleitoral houve, por exemplo, ruídos entre a campanha de marketing de Mercadante e de Marta.
 
Pesa ainda contra a petista o fato de sua presença ser considerada fundamental no Senado. Seu suplente é Antonio Carlos Rodrigues (PR), hoje presidente da Câmara. Para petistas, não seria viável entregar uma vaga PR no início do governo Dilma.
 
A ex-prefeita tem sinalizado a amigos que quer integrar o ministério. Teria no horizonte a disputa da prefeitura em 2012.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico