Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 17 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

FMI mantém previsão de crescimento para Brasil neste ano e 2008

26 Jul 2007 - 05h06

O FMI (Fundo Monetário Internacional) manteve as previsões de crescimento econômico do Brasil para este ano e 2008 em 4,4% e 4,2%, segundo dados divulgados nesta quarta-feira.

O Fundo divulgou uma atualização dos dados contidos no relatório "World Economic Outlook" ("Cenário Econômico Mundial") apresentado em abril (o Fundo divulga dois por ano; o segundo deve ser anunciado em setembro).

No relatório de abril, o Fundo indica que o Brasil e o Chile serão os dois únicos países latino-americanos cuja economia crescerá mais que no ano anterior. À época, o FMI considerava que a atividade econômica já vivencia um crescimento no Brasil. O organismo disse então que, com a inflação sendo "contida", o Banco Central tem "espaço" para dar continuidade às baixas das taxas de juros. A taxa Selic hoje está em 11,5%.

Segundo o comunicado com as atualizações, a economia global manteve um ritmo acentuado de expansão no primeiro semestre deste ano. A projeção do Fundo para o crescimento econômico global neste ano e em 2008 foi elevada para 5,2%, contra 4,9% previstos para os dois anos no relatório divulgado em abril.

Nos EUA, a previsão é de crescimento de 2% neste ano (uma redução de 0,2 ponto percentual em relação ao relatório de abril) e de 2,8% em 2008 (mesma do documento anterior). "Embora o crescimento nos EUA tenha desacelerado no primeiro trimestre, indicadores recentes sugerem que a economia ganhou novo impulso no segundo", diz o texto.

No primeiro trimestre deste ano, a economia dos EUA cresceu apenas 0,7%; para o segundo, a previsão é de crescimento entre 2,5% e 3%.

Entre os países emergentes a expansão também foi robusta no período, com destaque para o ritmo acelerado nas economias da Índia, China e Rússia (que devem crescer respectivamente 9%, 11,2% e 7% neste ano, e 8,4%, 10,5% e 6,8% em 2008).

Mesmo com o crescimento global da economia, a inflação se manteve controlada. Os preços dos alimentos e da energia, no entanto, têm exercido mais pressão.

A perspectiva de riscos para a atual situação da economia global teve uma ligeira redução, mas o FMI diz que, com o crescimento econômico mundial sustentável, o aumento da demanda pode pressionar ainda mais os estoques mundiais e elevar os riscos de inflação. Isso pode levar os bancos centrais a aumentar suas taxas de juros.

"Os riscos no mercado financeiro também aumentaram, na medida em que a qualidade do crédito deteriorou-se em alguns setores e a volatilidade do mercado aumentou", diz o documento.

 

 

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto