Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 24 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Fiscalização é garantia de empregos, diz secretária

6 Ago 2004 - 08h20
A secretária de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho, Ruth Vilela, disse que a fiscalização não tem como meta punir, mas garantir os empregos e melhorar as condições de trabalho. “A fiscalização vem atuando insistentemente no meio rural, mas temos trabalhado muito no sentido de negociar com os produtores a regularização imediata dessas condições. Enquanto isso não é possível, infelizmente a fiscalização é obrigada a agir de forma mais repressiva, até punitiva, lavrando os autos da ação”.

Em 2003, o Departamento de Inspeção em Segurança e Saúde no Trabalho da Secretaria fez 2.345 autuações em propriedades rurais. Os fiscais desta área verificam situações que possam gerar doença ou acidente no trabalho. De acordo com o coordenador-geral de fiscalização e projetos, Rinaldo Marinha Costa Lima, antes de aplicar multas, os fiscais procuram orientar o proprietário a regularizar a situação. O procedimento garantiu a regularização de 39.306 casos e a notificação de 11.454. Neste caso, o fazendeiro tem até 60 dias para cumprir as recomendações e não receber multa.

Os itens com maior número de autuações pelo Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho foram: fornecimento, substituição e uso de equipamentos de proteção individual (475), seguido por exames médicos (283), água potável (179), falta de alojamentos adequados (163), instalações sanitárias/ chuveiros (122) e condições para refeições (106).

Todo trabalhador rural deve ter acesso a equipamento de segurança, como calçados, luvas, chapéu e proteção respiratória, quando tiver contato com agrotóxicos. “Grande parte dos trabalhadores fica descalça”, disse Rinaldo Lima. É obrigação do fazendeiro, lembrou, fornecer o equipamento e exigir o uso, além de oferecer alojamento limpo, com cama em um local fechado, com telhado. Deve ser fornecida também água potável e um espaço para refeições. O coordenador de fiscalização informou também que multas podem variar de R$ 400 a R$ 6.400 por cada irregularidade encontrada.

A secretária de Inspeção do Trabalho, Ruth Vilela, acrescentou que nas propriedades rurais são identificados dois universos distintos: “Não podemos dizer que no meio rural não se encontram situações que indiquem um cuidado com a situação dos trabalhadores, mas também não podemos deixar de ressaltar que em grande parte, infelizmente, a legislação trabalhista não é respeitada.”
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico