Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Ferrugem asiática já preocupa agricultores do Paraná

9 Set 2004 - 09h40
A proximidade do plantio da safra de verão 2004/05 traz uma preocupação a mais aos agricultores paranaenses. Trata-se da ferrugem asiática, doença fúngica que causou cerca de R$ 4 bilhões em prejuízos com a perda de produtividade e aumento da aplicação de defensivos agrícolas na safra passada. O ex-ministro da Agricultura Alysson Paulinelli esteve em Cascavel e discutiu com líderes de cooperativas e pesquisadores as ações para combater a ferrugem asiática.

O encontro foi na sede da Cooperativa de Desenvolvimento Tecnológico e Científico (Coodetec), que já pesquisa a ferrugem asiática há quatro anos. Paulinelli, que foi ministro durante o governo Emílio Garrastazu Médici (1969-1974), disse que há a necessidade de um grande esforço nacional para combater a doença. O ex-ministro afirmou que a iniciativa privada está preocupada com o avanço da ferrugem asiática e quer participar das ações a fim de descobrir uma cultivar de soja resistente ou tolerante à ferrugem asiática.

O ex-ministro vem participando de vários encontros pelo Brasil discutindo a questão com os institutos de pesquisas, empresas e cooperativas. Paulinelli é o representante da iniciativa privada do Fundo Tecnológico do Agronegócios, organismo criado pelo governo federal para estimular a pesquisa agropecuária no Brasil.

De acordo com os pesquisadores, a disseminação do fungo ocorre através do vento e pode ser devastadora em caso de não haver tratamento preventivo. Carraro disse que a descoberta de uma cultivar de soja resistente pode durar mais alguns anos. Até lá, os pesquisadores recomendam que o agricultor faça vistorias freqüentes, se possível diária, nas lavouras a procura do problema. “Somente dessa forma poderemos ter um controle eficiente da doença”, argumenta o pesquisador João Tadashi Yorimori, pesquisador Phd da Embrapa-Soja, de Londrina.

Ele lembra que as lavouras devem ser monitoras desde a emergência até a colheita, uma vez que a doença pode se instalar durante todo o ciclo da soja. Tadaschi explica que é fundamental que a identificação dos sintomas seja feita no início, “pois nesta fase a aplicação de fungicidas terá eficiência máxima”. De acordo com ele, a ferrugem asiática já se disseminou para a maioria dos estados que cultivam soja. No Paraná, o fungo foi detectado, pela primeira vez, na safra passada. Os prejuízos causados com a doença na safra 2002/03 foi de aproximadamente R$ 4 bilhões com a perda da produtividade e aumento da aplicação de fungicidas.
 
Gazeta do Povo

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'