Menu
SADER_FULL
quinta, 20 de junho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Fátima do Sul realiza ações na Semana Mundial da Amamentação

4 Ago 2010 - 06h23Por Luiza Rodrigues / Fátima News

Em comemoração a semana Mundial de Aleitamento Materno 01 a 07 de agosto e pensando na saúde das crianças futuro da nossa cidade, a Prefeita Ilda Salgado Machado através da Secretaria Municipal e, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde,  ofereceu aos profissionais  que atuam nas Unidades de Saúde de Fátima do Sul, uma capacitação  em amamentação, para que as Unidades sejam credenciada  na Rede Amamenta “Como amiga da Criança”.

 

 

A capacitação aconteceu na semana de 26 a 30 de julho, no Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Fátima do Sul. A ministrante foi a tutora Estadual da Rede Amamenta, Neide da Cruz, que é também Gerente Estadual da Saúde da Criança.

 

 

A Secretaria de Saúde organizou um cronograma especial para atender a todos, de modo que foram capacitados de segunda a quarta-feira os enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionista e fonoaudiólogo, em Manejo Básico para Aleitamento Materno, na quinta-feira foram capacitados os profissionais que atuam nas Unidades de Saúde Jardim Tatiane e O Pioneiro e, na sexta-feira Centro Educacional e Brasilândia.

 

 

A Secretária de Saúde Priscila Gazola e a Coordenadora de Atenção Básica Alzira Assunção, enfatizam que a Rede Amamenta, é uma estratégia de promoção, proteção e apoio à prática do aleitamento materno na Atenção Básica, por meio de processo de trabalho entre a equipe multidisciplinar nas unidades básicas de saúde, com o objetivo  da propiciar a  criança o aleitamento materno.

 

 

A criança que mama exclusivamente nos primeiros 6 meses e mantem o aleitamento materno por dois anos ou mais, a criança terá melhor qualidade de vida e menor risco de adoecer e morrer, ao mesmo tempo em que tem a oportunidade de estreitar o vínculo afetivo com a mãe.

 

 

A mulher amamentando mais tem menos riscos de ter complicações após o parto, câncer de mama e ovários e de desenvolver diabetes, a família economiza e seus laços afetivos são reforçados. Com o aumento das taxas de aleitamento materno há redução de agravos à saúde das crianças e das mulheres. O País terá cidadãos mais saudáveis, evitando gastos com remédios e internações hospitalares.

 

 

Para a Prefeita Ilda, capacitar os profissionais da saúde é a “garantia de que a população, principalmente os bebês terão um atendimento de qualidade e quando se trata de aleitamento materno é a certeza de que serão mais saudáveis e menos sujeitas as doenças típicas da infância”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SOB INVESTIGAÇÃO
Menina de um ano morre e IML aponta agressão física como causa da morte
CASO NEYMAR
Caso Neymar: Polícia francesa recupera imagens de hotel
MUNDO DA MÚSICA
Ludmilla posta foto de biquíni ao lado da namorada e faz declaração
JUSTICEIROS
Revoltados, moradores ateiam fogo em casa de bebê morto. Pai, mãe e avó estão presos
MILIONARIO
Apostador de Osasco-SP acerta dezenas e leva R$ 124 milhões da Mega-Sena
VIOLENCIA DOMESTICA
Jovem que agrediu a própria mãe por não poder ir a baile funk é presa
ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular