Menu
SADER_FULL
quinta, 18 de julho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Famasul pede ao governo flexibilização tributária sobre o milho

2 Jun 2010 - 09h55Por Fátima News com Assessoria

 

 

A Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) e Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja) solicitaram ao Governador André Puccinelli a flexibilização tributária sobre o milho de modo a tornar atrativo às cerealistas os leilões do produto realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Estado. O pedido foi feito em reunião na manhã de hoje, na governadoria, e visa evitar que no próximo leilão se repita o resultado do último dia 27, quando das 80 mil toneladas de milho ofertadas apenas 13 mil foram vendidas, o pior resultado entre os cinco Estados participantes do certame.

 

Na reunião, André Puccinelli comunicou a decisão de praticar a equivalência de 40% de produto tributado para a comercialização nos leilões da Conab, via Prêmio de Escoamento de Produto (PEP). A equivalência significa o percentual sobre o qual será cobrado o imposto sobre o milho leiloado. Contrariando a Lei Kandir, que garante a isenção de tributos para produtos primários destinados à exportação, a legislação estadual em vigor prevê que para cada tonelada exportada, a mesma quantidade seja vendida no mercado interno. “É uma solução paliativa, para que o Estado não sucumba abrindo mão de tributos”, justificou o Governador.

 

Para o presidente da Famasul, Eduardo Corrêa Riedel, a prática fiscal não dá condições de preço para o produto de MS seja atrativo. “A competitividade de nosso produto deve ter igualdade de condições com relação aos outros estados”, enfatizou o dirigente.

 

Na quinta-feira, a Famasul entregou ao ministro da Agricultura, Wagner Rossi, a proposta de dividir o Estado em três regiões com valores distintos de prêmio - ou seja, o valor que o Governo Federal repassa aos compradores nos leilões via PEP. Atualmente, o valor do prêmio pago no Estado é um só, desconsiderando a logística necessária para escoamento do produto. Essa seria outra medida que visa tornar os arremates de MS atrativos às cerealistas.

 

Também presente na reunião, o superintendente da Conab no Estado, Sérgio Rios, disse que atualmente o Estado tem 800 mil toneladas de milho estocadas nos armazéns credenciados da companhia. Com a previsão de colheita estimada em 2,7 milhões de toneladas para a safrinha, a expectativa é de que cerca de um milhão de toneladas sejam leiloadas nos 11 leilões agendados, sendo que o próximo está previsto para 8 de junho, na próxima terça-feira. Além da presença de presidentes de sindicatos rurais, a reunião de hoje com o governador teve a participação dos deputados Zé Teixeira (DEM) e Reinaldo Azambuja (PSDB).

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSALTANTES
Agricultor reage e mata dois ladrões que tentavam assaltar propriedade
ARREPENDEU
Ladrão devolve roupas e pede desculpas em bilhete: “Estava desesperado, não sou disso”
100 SAQUE
Governo quer que funcionário demitido não possa sacar FGTS
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz ouve Josiane e Régis transando em 'A dona do pedaço'
SE DEU MAL
Ladrão tenta assaltar caminhoneiro arma de brinquedo e morre ao levar três tiros de verdade
COPA DO BRASIL
Athletico-PR elimina Flamengo nos pênaltis e garante vaga na semi da Copa do Brasil
COPA DO BRASIL
Com polêmica e expulsão, Internacional avança para a semifinal ao eliminar o Palmeiras
DESCARGA ELÉTRICA
Técnico de Rerigeração morre após sofrer choque ao manusear microondas
DOENÇA DO SÉCULO
Rapaz que se jogou da ponte do Rio Piquiri se despediu de amiga antes
COMOÇÃO
Jovem de 19 anos morre após contrair bactéria em parto