Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Falta de laudos de estádios ameaça campeonatos de MS

25 Ago 2010 - 06h25Por Campo Grande News

A falta de laudos técnicos dos principais estádios do Estado pode ameaçar a realização da Copa MS, campeonato lançado pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) e que deve começar em outubro.

Em reunião realizada ontem (23) na sede da FFMS, dirigentes de clubes e da Federação discutiram o problema, um dos pontos mais críticos do futebol de Mato Grosso do Sul. Atualmente apenas o Itaporã e o Corumbaense possuem laudos dos estádios Chavinha e Arthur Marinho, onde atuam como mandantes.

Os laudos, emitidos pela Vigilância Sanitária Estadual, são enviados ao Ministério Público, que aprova ou não a entrada da torcida e a realização de partidas de futebol profissional.

O Jacques da Luz, nas Moreninhas, é um exemplo. Após receber laudos, a Promotoria Pública do Estado interditou o campo em função de restrições na infraestrutura. Assim, apenas jogadores, arbitragem, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros podem entrar no estádio.

O laudo do Morenão, que vence esta semana, poderia ameaçar a realização de jogos do Cene pelo Brasileiro da Série D caso o time confirmasse a classificação para a segunda fase. O time e a FFMS já cogitavam a realização de jogos no Madrugadão, em Três Lagoas.

De acordo com o presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, Francisco Cezário, as exigências do Estatuto de Torcedor e do Ministério Público aumentaram. Por isso os times devem regularizar a situação dos estádios utilizados no mando de campo tanto para a Copa MS quanto para o Estadual do ano que vem.

“Se for preciso fazer um campeonato com apenas duas equipes, será feito, mas com duas equipes exemplos. Não vamos soltar tabela e regulamento sem que todas as equipes estejam regulares”, foi taxativo.

“Se os clubes não buscarem o quanto antes a regularização, não teremos condições de participar nem do próximo Estadual. A legislação mudou muito, acabou aquele negócio de deixar para a última hora e arrumar um jeitinho brasileiro” afirmou José Rodrigues, presidente do Cene.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico