Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Explosões matam 42 e ferem 140 em Bagdá

30 Set 2004 - 08h14
Rebeldes iraquianos detonaram nesta manhã em Bagdá [capital iraquiana] três carros-bomba perto de um comboio de militares dos Estados Unidos, causando a morte, até o momento, de 35 pessoas [muitas delas crianças]. Outras 140 pessoas ficaram feridas, segundo fontes médicas e do governo.

A aparente ação terrorista coordenada ocorreu horas depois de um suicida ter causado a morte de dois policias iraquianos e um oficial dos EUA, quando explodiu o carro-bomba em que estava nas proximidades de um posto de controle do Exército dos EUA, na região oeste da capital.

No norte de Bagdá, a explosão de um outro carro-bomba matou quatro pessoas.

A instabilidade aumenta no Iraque a poucas semanas da eleição presidencial nos EUA, em 2 de novembro.

De acordo com fontes oficiais, ainda não é possível dizer quantos civis e militares [iraquianos e da coalizão liderada pelos EUA] estão entre os mortos.

Oficiais do hospital Yarmouk, em Bagdá, disseram quer o local foi "inundado" por corpos e confirmou a morte de 42 pessoas. Os mesmos oficiais confirmaram haver cerca de 140 feridos --entre eles muitas crianças feridas por estilhaços.

Ataque aéreo

Nesta madrugada, o Exército americano atacou a cidade de Fallujah, a 50
km de Bagdá. Segundo agências internacionais, ao menos três pessoas morreram, mas o total de vítimas ainda é indefinido. Entre as vítimas, segundo testemunhas, estariam duas e uma criança. Outras oito pessoas teriam ficado feridas.

O alvo do ataque aéreo dos EUA era uma casa na região nordeste de Fallujah, suspeita de abrigar um grupo seguidor do terrorista jornadiano Abu Musab al Zarqawi [acusado de manter laços com a rede terrorista Al Qaeda, de Osama bin Laden]. Duas casas teriam sido destruídas e outras quatro sofreram danos graves.

Os ataques aéreos contra Fallujah são quase diários e, segundo o Exército americano, têm o objetivo de atingir os esconderijos do grupo de Al Zarqawi, o inimigo número um dos Estados Unidos no Iraque.

Seqüestro

Um grupo terrorista iraquiano anunciou, nesta quinta-feira, pela rede de TV do Qatar, Al Jazira, o seqüestro de dez pessoas que trabalham em uma fabricante de eletrônicos, incluindo duas indonésias. A TV mostrou um vídeo que seria do grupo que auto-intitulado Exército Islâmico no Iraque, a liderança do Ocidente", mostrando três homens capturados.

Segundo os terroristas, há também seis iraquianos e dois libaneses, mas o grupo, por enquanto, não fez nenhuma exigência.

Segundo a Reuters, não foi possível saber se o grupo é uma divisão do Exército Islâmico no Iraque, que também seqüestrou dois jornalistas franceses.
 
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos