Menu
SADER_FULL
sexta, 17 de janeiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER BET
Brasil

Estudo diz que cafeína agrava diabete

26 Jul 2004 - 17h41
A cafeína pode interferir na capacidade do corpo de administrar o açúcar do sangue, agravando a diabete tipo 2, informaram hoje pesquisadores do Centro Médico da Universidade Duke, na Carolina do Norte, nos EUA.

A equipe que fez o estudo descobriu uma correlação importante entre o consumo de cafeína durante as refeições e a elevação de níveis de glicose e insulina em pessoas com diabete tipo 2.

A Associação Americana de Diabetes diz que pelo menos 90% dos 17 milhões de norte-americanos que têm diabete possuem o tipo 2, que é associada à obesidade e acontece quando o corpo não produz insulina suficiente ou quando as células ignoram a insulina, que é necessária para transformar os alimentos em energia.

As descobertas são tão significativas que os pesquisadores recomendam que os portadores de diabete pensem em reduzir ou eliminar a cafeína de suas dietas.

"Numa pessoa saudável, a glicose é metabolizada mais ou menos uma hora depois de comer. Os diabéticos não conseguem metabolizar a glicose de modo tão eficiente", disse James Lane, professor de psiquiatria que comandou a pesquisa. "Parece que os diabéticos que consomem cafeína são mais propensos a ter dificuldades em regular seus níveis de insulina e glicose do que os que não tomam cafeína."

A pesquisa foi publicada na revista Diabetes Care. Lane e seus colegas estudaram 14 consumidores regulares de café que sofrem de diabete tipo 2.

Os cientistas submeteram os voluntários a uma dieta controlada. Eles tomaram seus remédios, tiveram o sangue examinado e depois ingeriram cápsulas de cafeína. Depois disso, os pesquisadores tiraram mais sangue, e mais uma vez após dar aos voluntários um suplemento alimentar líquido.

A cafeína teve pouco efeito sobre os níveis de glicose e insulina quando os voluntários não haviam comido. Mas, depois da refeição líquida, os que tomaram cafeína tiveram uma elevação de 21 por cento no nível de glicose e de 48 por cento no nível de insulina.

"O objetivo do tratamento clínico da diabete é manter o nível de glicose baixo", disse Lane num comunicado. "Parece que a cafeína, por atrapalhar ainda mais o metabolismo das refeições, é algo que os diabéticos deviam pensar em evitar. Algumas pessoas já prestam atenção à dieta e se exercitam regularmente. Evitar a cafeína pode ser um outro modo de controlar melhor sua doença. Na verdade, é possível que ficar longe da cafeína possa trazer benefícios ainda maiores", acrescentou.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Mulher acha que marido morreu, busca detetive e descobre traição: 'Agora é ex'
LUTO - IASD
Morre primeiro líder máster de desbravadores investido no Brasil
OVNI OU SATÉLITE?
Objetos não identificados no céu chamam a atenção de moradores
SANGUE FRIO
Homem mata desafeto e continua vendendo picolé nas ruas da cidade
PERIGO DA NARGUILÉ
Jovem contrai doença após fumar narguilé e alerta: 'Abandonem essa porcaria'
100 CULTURA
Escola joga pela janela livros que recebeu como doação
EMPREGADO
Jovem que salvou criança de ataque de pitbull consegue emprego
DINHEIRO NA PRAÇA
Começa hoje o pagamento de abono salarial do PIS-Pasep
ALERTA GERAL
EUA emitem alerta para que turistas evitem visitar cidades de MS e outros locais do Brasil
CONTRABANDO
Polícia apreende cinco mil agulhas de tatuagem na fronteira do Brasil com Paraguai