Menu
SADER_FULL
quarta, 24 de outubro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Estresse pode ser bom para saúde, diz pesquisa

6 Jul 2004 - 08h00
Ficar estressado de vez em quando pode ser bom para a saúde, segundo uma pesquisa feita nos Estados Unidos e no Canadá.

Curtas situações de estresse, como aquela causada ao enfrentar uma prova, podem reforçar o sistema imunológico do corpo.

Mas estresse de longa duração, como o de viver em situação de invalidez permanente, pode deixar o corpo menos capaz de lutar contra infecções, de acordo com o estudo.

A pesquisa, dos cientistas Suzanne Sergestrom e Gregory Miller, foi publicada no jornal Psychological Bulletin.

'Fuja ou lute'

É do conhecimento de cientistas há algum tempo que o estresse pode ter um efeito negativo sobre o corpo.

Agora, Suzanne Sergestrom, cientista americana da Universidade de Kentucky, e Gregory Miller, cientista canadense da Universidade de British Columbia, dizem que algum estresse psicológico pode ser positivo.

Eles avaliaram cerca de 300 relatórios científicos publicados sobre o tema, envolvendo cerca de 19 mil pessoas.

Situações de estresse que tiveram curta duração parecem ter se originado na resposta "fuja ou lute", que remonta ao período em que o homem primitivo era ameaçado por predadores.

Essa reação beneficiava a pessoa porque reforçava as defesas naturais contra infecções e traumas como mordidas e arranhões.

Longo prazo

No entanto, a ansiedade por longo tempo tem o efeito oposto.

Situações que causam estresse permanente e viram o mundo da pessoa de cabeça para baixo são prejudiciais à saúde.

Eventos estressantes, como cuidar de uma pessoa demente, parecem abalar o sistema imunológico, deixando a pessoa com tendência a infecções.

Outras experiências prejudiciais incluem perder o parceiro ou esposo ou ter sofrido violência na infância.

O fator importante parece ser o conhecimento de que o evento que provoca ansiedade terminará em seguida.

Algumas pessoas parecem ser mais vulneráveis ao estresse do que outras.

As pessoas mais velhas e as que já estavam doentes parecem ter maior probabilidade de ter o sistema imunológico abalado.

Reforço

Segundo Phillip Hodson, integrante da Associação Britânica de Aconselhamento e Psicoterapia (British Association for Counselling and Psychoterapy), a pesquisa reforçou o que era sabido.

"Todos nós precisamos de alguma pressão na vida. Estresse está aí para assegurar que você vai fazer o melhor em uma situação de desafio, seja fugir de um tigre ou enfrentar uma entrevista difícil", disse ele.

Para ele, faz todo o sentido que o estresse possa reforçar o sistema imunológico.

"Você passa (por uma situação de estresse) e relaxa depois e, de alguma forma, você fez um exercício. Levou a uma sensação maior de alívio e seu sistema imunológico não teve que funcionar muito e por muito tempo", explicou.

"O que é prejudicial em relação à saúde é o estresse sem alívio".

"O problema com a maioria, pela maneira como vivemos, é que o sistema imunológico está funcionando demais por todo o tempo, então, assim que paramos, o sistema também tem que parar. Assim que saimos em férias, pegamos uma gripe ou nos sentimos doentes."

 

BBC BRASIL

Deixe seu Comentário

Leia Também

SOB INVESTIGAÇÃO
Mulher morre após fazer lipo e colocar silicone em clínica
NOVELA GLOBAL
Karola pode morrer no final de Segundo Sol; saiba mais
CAPITULO FINAL
Maura fica com Selma, e Ionan com Doralice no fim de 'Segundo sol'
SEGUNDO SOL
Reta Final: Laureta conta a Remy como forjou a sua morte
FAMOSIDADES
Término de Neymar e Bruna teve bate-boca e pedido de casamento negado
LUTO NA MÚSICA
Dupla Sertaneja morre em acidente de veículo em rodovia
CIENCIA
A estranha imagem 'que se move' e intriga a internet
DOURADOS - UNIPAR EAD
UNIPAR EAD com cursos de Educação Física, Letras, Marketing e mais 22 cursos, Confira todos aqui
ASSALTO A ONIBUS
Bandidos fortemente armados roubam três ônibus de turismo na BR-116
ACIDENTE FATAL
Mulher morre após colidir e capotar carro; veja vídeo