Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 20 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Estresse de pais causa danos cerebrais em bebês

6 Out 2004 - 18h02
O estresse pode causar danos "devastadores" no cérebro dos bebês desde sua fase embrionárias até os primeiros anos de vida, segundo foi divulgado hoje no II Congresso Internacional sobre o Cérebro Humano que acontece em Roma.

A questão foi levantada pelo psiquiatra americano Martin Teicher, da Harvard Medical School, que assegurou que 20% entre crianças e adolescentes são afetados por algum tipo de doença cerebral, um número que pode aumentar para mais de 50% em 2020.

Por trás destas doenças está freqüentemente o estresse, assegurou Teicher, que advertiu que em algumas ocasiões este mal pode ser constatado inclusive na fase embrionária, com conseqüências "desastrosas" para o cérebro.

Uma equipe de investigadores dirigidos pelo psiquiatra realizou vários estudos, nos quais comprovou as maléficas conseqüências do estresse sobre animais, mas "também existem evidências dos prejuízos ao homem", assegurou Teicher. Os experimentos "mostraram que o estresse pré-natal e pós-natal, causado pela negação de afeto materno, por exemplo, influem notavelmente no desenvolvimento do cérebro", explicou.

Assim, os testes permitiram a comprovação de que a falta de atenção materna tem, a longo prazo, efeitos concretos sobre o desenvolvimento da estrutura periférica do cérebro, do córtex e de algumas partes do cerebelo.

Teicher insistiu na necessidade de que os progenitores mostrem carinho ao bebê através de gestos e carícias, já que isso "contribui de modo fundamental para a capacidade que o bebê terá quando crescer para reagir ao estresse na vida futura". "Já os bebês abandonados ou negligenciados por seus pais mostram respostas excessivas e irregulares ao estresse", além de disfunções neurológicas "que na idade adulta podem levar à depressão e ao estresse pos-traumático".

O conselho do psiquiatra foi claro: é necessário "brincar com os filhos, animá-los e motivá-los, o excesso de reprovações nunca é positivo, embora provenha da vontade de educar melhor a criança". "A sensação de abandono por parte da criança não está tão ligada à quantidade de tempo que se passa com ele, mas à sintonia que se mantenha entre mãe e filho nos momentos nos quais estão juntos", concluiu.

O II Congresso Internacional sobre o cérebro humano, organizado pela Fundação Santa Lúcia, acontece na capital italiana até o próximo sábado e conta com a presença de cientistas como a vencedora do Prêmio Nobel de Medicina Rita Levi Montalcini.

 

EFE

Deixe seu Comentário

Leia Também

PÂNICO NO ÔNIBUS
Atirador de Elite mata homem que fez reféns em ônibus
AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo
MORTE E COMOÇÃO
Jovem caminhoneira morre em acidente e comove colegas de toda a região
FACULDADE
Irmãs estudantes de engenharia vendem doces nos trens do Rio para se sustentar
MUITA FUMAÇA
Crianças passam mal em incêndio que dura três dias
VICENTINENSE DE CORAÇÃO
Após 30 anos dividindo palco, Erika Figueiredo aposta no solo e lança clipe, ASSISTA
SIAMESAS
Mulher dá à luz gêmeas siamesas de 3,700KG as duas