Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de março de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Escola Família Agrícola oferece formação integral

8 Set 2004 - 16h30
As Escolas Famílias Agrícolas (EFAs), como a que funciona em Campo Grande e em Itaquiraí, surgiram para incentivar o jovem a permanecer no campo, onde ele terá condições de trabalhar para garantir seu sustento e da família, e para oferecer formação de mão-de-obra especializada para as zonas rurais.

Essas unidades trabalham com a pedagogia de alternância - que surgiu em um pequeno vilarejo da França, em 1935, por causa da insatisfação de um grupo de jovens, filhos de pequenos agricultores, com a formação oferecida em estruturas escolares estabelecidas até então. Através desse sistema, os jovens passam períodos de formação no ambiente escolar e períodos de práticas, experiências e pesquisas no ambiente familiar-comunitário, integrando família e escola.

Para isso, os alunos têm atividades em tempo integral, durante quatro anos, sendo pela manhã aulas do curso técnico e à tarde do ensino médio. À noite, eles assistem a palestras que são atividades complementares para a formação curricular. No último ano do técnico, os alunos podem participar de cursos oferecidos pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e parceiros, como de auto-estima e motivação, cooperativismo, trabalho em equipe, higiene e manipulação dos alimentos e desenvolvimento local.

Os alunos trabalham com temas geradores. No primeiro ano, o tema é o homem, a mulher e a terra, quando eles fazem um resgate histórico-cultural da luta pela terra, têm noções de geração de renda, de preservação ambiental, saúde e valores pessoais. No segundo ano, o tema é agricultura familiar, quando eles passam a observar a comunidade e trabalhar com questões relacionadas à subsistência e organização dos trabalhadores rurais. Já no último ano do ensino médio, o tema é desenvolvimento local, quando o ensino é voltado à política e cidadania, programas sociais, movimentos populares e comercialização da produção. Desde o primeiro ano, cada aluno desenvolve um projeto de vida e profissional.

A EFA está localizada em um terreno de nove hectares, da Arquidiocese de Campo Grande, onde os alunos criam porcos e galinhas, além de cultivar culturas de subsistência, como hortaliças e verduras. A criação de animais e plantação na unidade é voltada ao consumo da comunidade escolar e também como atividade didática.

A escola busca a formação integral, voltada não apenas para o ensino de disciplinas obrigatórias, mas também para conceitos de cidadania e política. Na EFA o aluno tem estímulo à pesquisa e incentivo ao comprometimento com a causa popular. “Não basta o aluno ir para a sala de aula, ele precisa desenvolver habilidades, organizar-se entre os colegas e aprender a ter responsabilidades”, afirma a diretora adjunta da EFA, em Campo Grande, Sirlete Augusto Lopes. Dessa forma, segundo a diretora, os jovens assumem a ética profissional, respeitam valores diferentes, a diversidade cultural e rejeitam a discriminação. Além disso, eles precisam estar envolvidos com a causa popular e acreditar que é possível mudar a estrutura da sociedade atual.

De acordo com dados fornecidos pela escola, existem aproximadamente mil EFAs em todo o mundo. No Brasil, esses centros de ensino estão espalhados por todas as regiões, exceto no sul. São cerca de 400 EFAs em funcionamento e outras 40 em implantação, beneficiando cerca de 20 mil alunos e 100 mil agricultores. Mais de 50 mil jovens já receberam formação nessas escolas, sendo que, destes, 65% permanecem no meio rural.

Educadores - Os professores, que são chamados de monitores nas escolas família agrícola, são habilitados para trabalhar com a metodologia diferenciada da educação do campo. Antes de começar a atuação na EFA, eles fazem um curso de formação em pedagogia de alternância, oferecido pela Associação das Escolas Famílias Agrícolas do Centro-Oeste e Tocantins (AEFACOT), em parceria com a Universidade de Brasília (UNB). Para aqueles que não têm graduação, o curso é oferecido como extensão. Já para os graduados, a certificação é em pós-graduação.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

TERROR NA ESCOLA
Homem é morto a tiros enquanto buscava filho na escola
TARADÃO
‘Peladão’ aterroriza mulheres em bairro nobre
MUNDO MEDONHO
Apaixonada pelo genro, sogra rouba nudes dele no celular da filha
QUEIMOU
Mulher queima partes íntimas do marido ao descobrir que ele abusava da filha – Veja VÍDEO
ASSALTANTES
Ônibus de turismo é parado a tiros por ladrões. Motorista foi baleado
SOFRE BULLYING
Estudante posta foto com pistolas e ameaça invadir escola
DROGAS
Mulher morre após cinco horas de sexo sem interrupção
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira algumas das promoções que O Boticário tem para você em Fátima do Sul
LAVA-JATO
Michel Temer é preso pela Lava Jato; PF faz buscas por Moreira Franco
SORTUDO
Aposta única fatura R$32,7 milhões na Mega-Sena