SUCURI_MEGA
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 15 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
30 de Março de 2007 05h03

Energia da cana já é quase igual à da água em volume

 

O  crescimento da cana-de-açúcar na geração de energia no país foi o principal destaque do Balanço Energético Nacional (BEN) de 2006, divulgado nesta quinta-feira (29) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Segundo os dados apurados no ano passado, a produção de etanol, que atingiu 17,8 bilhões de litros (crescimento de 10,8% na comparação com 2005) teve impacto direto na oferta de energia no país no ano passado. Considerando todas as formas de energia (renovável e não renovável), os produtos de cana-de-açúcar chegaram a quase igualar o volume de energia hidráulica, gerada a partir da água, na matriz energética.

Enquanto o álcool e bagaço derivados da cana-de-açúcar cresceram juntos 9,7%, a energia hidráulica cresceu 3,7%. Isso significa que os produtos da cana ocupam hoje fatia de 14,4% da energia gerada no país, contra 14,6% da energia hidráulica.

Os derivados de petróleo lideram o bolo da matriz energética, com 38,8% (o mesmo que em 2005), seguido por lenha e carvão vegetal (12,4% ante 13% no ano anterior) e gás natural (9,5%, mesmo porcentual de 2005).

No caso específico da geração de energia elétrica, a cana-de-açúcar (que representa entre 70% a 80% da biomassa usada para essa finalidade no país) também teve crescimento acima do esperado. A energia gerada por biomassa cresceu 7,1%, passando de 18,3 Twh para 19,6 Twh.

Gás na mesma


A produção de gás natural no mercado nacional em 2006 permaneceu exatamente a mesma do que em 2005. De acordo com os dados que constam no balanço, a produção nacional de gás no ano que passou foi de 48,5 milhões de metros cúbicos por dia, dos quais chegaram ao mercado efetivamente 27 milhões de metros cúbicos (200 mil metros cúbicos a mais do que em 2005).

Segundo o BEN, dentro da oferta de energia elétrica, o gás natural teve sua participação reduzida em 3,1%, por conta de muitas usinas não terem sido despachadas pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) devido ao nível elevado dos reservatórios de água. Já especificamente com relação à geração termoelétrica no país, que cresceu em 7,4% em 2006 sobre 2005, a participação do gás se manteve estável em 25,9%, perdendo o primeiro posto para a energia térmica gerada a partir da biomassa, que ficou com uma fatia de 27,8%. Ainda na geração térmica, a energia nuclear participa com 19,6%, derivados de petróleo com 16,2% e carvão vegetal com 10,5%.

Petróleo


A participação do petróleo e seus derivados na matriz energética se manteve estável em 2006 ante o ano anterior, mas a produção do combustível fóssil em território nacional cresceu 5,3% no ano que passou. A produção de petróleo cresceu 5,6%, enquanto a de derivados teve acréscimo de 0,9%. O aumento da produção nacional permitiu uma redução de 4,7% nas importações do petróleo.


 

G1

Comentários
Veja Também
LOJA_02
FÁBRICA_CALÇADOS
pupa
Últimas Notícias
  
ÓTICA_DOURADOS
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.