Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CONTAINER
Brasil

Em seis meses, custo da construção subiu 5,9% em MS

7 Jul 2010 - 13h30Por Diário MS
O custo da construção civil aumentou 5,9% de janeiro a junho deste ano, conforme pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Isso equivale a R$ 40,70 a mais por m² construído, considerando o material e a mão-de-obra, sem levar em conta o custo do terreno.

Em uma casa de 100 m² o desembolso a mais em relação ao início do ano é e R$ 4 mil, em padrões básicos. Em junho a variação foi de 0,36%.

O custo do m² no Estado fechou em R$ 730,54 no mês de junho, o segundo maior do Centro-Oeste, atrás apenas do Distrito Federal, onde custa R$ 770,75.

O valor médio no País é de R$ 747,36, pressionado pela região Sudeste, onde chega a R$ 792,23. O Rio de Janeiro tem o maior custo de m² do País, de R$ 833,54.

Em uma análise nacional, os materiais foram os principais responsáveis pela alta. Materiais básicos estão mais caros e chega a haver cota e fila de espera em alguns estabelecimentos, segundo o Sinduscon/MS (Sindicato da Indústria da Construção Civil).

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico