Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 17 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Em quatro anos, obesidade cresceu 22% no Brasil

25 Jun 2010 - 06h15Por
A falta de hábitos saudáveis tem feito à população brasileira crescer em número de pessoas obesas. Pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, feita em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) foi divulgada esta semana pelo Ministério da Saúde e revela que quase metade da população brasileira tem excesso de peso (46,6%). As mulheres são as mais afetadas.
O estudo mostrou que o percentual de pessoas com excesso de peso aumentou de 42,7% para 46,6% entre 2006 e 2009. Do total de 54 mil adultos em todo o país que foram entrevistados pela pesquisa, entre os homens, 51% estão acima do peso, enquanto 42,3% das mulheres sofrem com o problema. A pesquisa verificou ainda que o percentual dos que sofrem de obesidade cresceu de 11,4% para 13,9% , no mesmo período.
Para a nutricionista Rita Mendes, coordenadora do curso de Nutrição da Unigran, este é um problema mundial. “O hábito de deixar de comer alimentos saudáveis para comer produtos industrializados é um dos principais fatores para o excesso de peso”, explica a professora. Preocupado com este problema que atinge a sociedade, a Unigran irá desenvolver tratamento personalizado com pessoas que sofrem da obesidade severa – quando o paciente está muito acima do peso e apresenta doenças.
A obesidade é definida como um distúrbio do metabolismo energético que leva a um excessivo ganho de gordura corporal e tem sido considerada como um sério problema de saúde pública, especialmente por estar associada a uma série de doenças graves como hipertensão arterial, cardiopatia, diabetes tipo 2, problemas pulmonares, aumento do colesterol e triglicérides e até mesmo câncer de estomago e próstata.
De acordo com a pesquisa, a maior prevalência de mulheres obesas está na faixa etária de 55 a 64 anos (21,3%). Porém, em um ano, a faixa etária de 18 a 24 anos foi a que concentrou o maior número de obesas. Em 2008, 3,5% das jovens com essas idades estavam obesas. Em 2009, o número quase dobrou.

TRATAMENTO
Com objetivo de proporcionar um tratamento sem medicamentos e incentivar a mudança do hábito alimentar e a prática de exercício físico, os cursos de Educação Física e Nutrição da Unigran vão promover o projeto de extensão “Tratamento não medicamentoso”, que atenderá pacientes com obesidade severa. Serão ofertadas de 10 a 15 vagas e a inscrição poderá ser feita no Núcleo de Nutrição da Unigran, no período vespertino. O Núcleo está localizado na Rua Antonio Emilio de Figueiredo, 1755, no centro de Dourados.
Será realizada uma entrevista com os interessados, onde será analisado o Índice de Massa Corporal (IMC), peso e disponibilidade do participante. O tratamento é gratuito e somente podem participar pacientes com obesidade severa. A equipe de Educação Física irá trabalhar como personal trainer e a de nutrição ficará responsável pela orientação alimentar e prescrição de dieta balanceada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto