Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 16 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Em Maracaju, presos estão trabalhando fora do presídio

6 Jun 2007 - 04h50
Os detentos de Maracaju começaram nesta segunda feira a trabalhar nas ruas e setores públicos, na realização de limpeza e arborização. Eles fazem parte de um projeto pioneiro no Mato Grosso do Sul, através do Conselho da Comunidade, órgão ligado ao Fórum da Comarca de Maracaju, em parceria com a Prefeitura de Maracaju, Promotoria de Justiça, Comando da Polícia Militar de Maracaju e Câmara Municipal.

De acordo com o Juiz da comarca de Maracaju Dr Rubens Witzel Filho, no dia 31 de maio, o Conselho da Comunidade e Prefeitura de Maracaju assinaram convênio para implantação do projeto que tem como objetivo oportunizar ao preso condenado possibilidade de trabalhar fora das dependências do presídio.

Dr Rubens Mencionou que a iniciativa está sendo elaborada e planejada a mais de um ano, “somente agora depois de muito estudo colocamos em prática”. O detento que aceitar a participação terá a remuneração no valor de R$- 12,00 por dia trabalhado, além disto, em cada três dias efetivados de trabalho terá ainda a diminuição de um dia na sua pena. De acordo com convênio assinado pelo Conselho da Comunidade com o Município de Maracaju, terá duração de dezenove meses, o pagamento será efetuado pela Prefeitura, sob fiscalização do Conselho da Comunidade.

De acordo com o Presidente do Conselho da Comunidade Rodrigo Olegário a sociedade sempre cobrou esse tipo de atitude, “ou seja, uma ocupação para os presos, e isso somente está acontecendo devido ao trabalho em conjunto de todos os poderes constituídos... acredito que a aplicação correta deste projeto será um passo gigantesco para suprir esta necessidade que é de âmbito nacional

O prefeito Dr Maurílio Ferreira Azambuja mencionou ao site Maracaju.News que se o projeto alcançar a plenitude de seus objetivos, será um avanço para a segurança pública do país, “este trabalho em parceria é imprescindível para termos sucesso, temos a intenção maior de valorização do ser humano, tirá-lo da margem da sociedade e inseri-lo com dignidade a nossa comunidade”. Dr Maurílio mencionou também as condições precárias que a maioria dos presídios do Brasil encontram-se “sabemos do problema das superlotações e das condições adversas que os presos se sujeitam no cumprimento das sanções, acredito que estando nas ruas trabalhando, o tempo vai passar mais rápido, além de acelerar a sua saída da cadeia, ainda terá um salário para contribuir com a sua dignidade e de seus familiares” concluiu Dr Maurílio

A promotora de Justiça Eni Maria Diniz relatou que este é um momento impar na história do Estado e também do País “a dificuldade de colocar um preso para trabalhar é imensa, por isso o que está sendo feito aqui em Maracaju e de uma magnitude sem igual, essa, sem dúvida, é uma forma de combater a marginalidade, o que sempre foi cobrado por nossa sociedade. Teremos dificuldades no começo, mas com certeza, unidos, vamos superar os problemas, parabéns a todos que encamparam essa idéia, sair do papel, ir para a prática. Com toda certeza os resultados serão proveitosos”.



Em entrevista ao Maracaju.News, o Juiz da Comarca Rubens Witzel Filho relatou que está trabalhando com a idéia do sucesso do projeto, “claro que não vamos descartar nada, tudo foi levado em consideração e hoje só é possível a conclusão dessa idéia graças a união dos poderes, sem um deles, isso não seria possível, todos estão imbuídos do mesmo objetivo, colocar em prática uma forma de ocupar o preso e ao mesmo tempo ele ser remunerado, sem causar danos a sociedade e sem colocar em perigo a população, por isso a certeza de sucesso”.

O Comandante da Polícia Militar de Maracaju, Cel. César Arar comentou que este é um sonho antigo da PM, “buscamos durante um ano esses parceiros, hoje é uma realidade, a população pode ficar tranqüila, os presos vão trabalhar nas ruas, estarão uniformizados, e com algemas nos pés e com a Polícia Militar fazendo a escolta ou seja não haverá perigo algum, além disso, vários já disseram que querem fazer parte do projeto, estarão na rua trabalhando, ganhando e diminuindo suas penas, ajudando suas famílias, vão se sentir útil, por esse motivos é que acreditamos no sucesso”

De início estão participando dois presos de Maracaju, que estão realizando a limpeza, urbanização das ruas do município, que de acordo com o comando da PM em Maracaju, hoje para iniciar o projeto a Polícia Militar de Maracaju têm condições plenas de escoltar e fiscalizar até cinco detentos.
 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto
TRAGEDIA
Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante
ACIDENTE DE TRANSITO
Caminhão passa por cima de veículos e explode em grave acidente
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Marilda (Letícia Spiller) é flagrada nua e finge ser uma assombração
BNDS
“Se não abrir a caixa preta do BNDES, está fora!”, diz Bolsonaro sobre Levy
FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos