Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Em Maracaju, presos estão trabalhando fora do presídio

6 Jun 2007 - 04h50
Os detentos de Maracaju começaram nesta segunda feira a trabalhar nas ruas e setores públicos, na realização de limpeza e arborização. Eles fazem parte de um projeto pioneiro no Mato Grosso do Sul, através do Conselho da Comunidade, órgão ligado ao Fórum da Comarca de Maracaju, em parceria com a Prefeitura de Maracaju, Promotoria de Justiça, Comando da Polícia Militar de Maracaju e Câmara Municipal.

De acordo com o Juiz da comarca de Maracaju Dr Rubens Witzel Filho, no dia 31 de maio, o Conselho da Comunidade e Prefeitura de Maracaju assinaram convênio para implantação do projeto que tem como objetivo oportunizar ao preso condenado possibilidade de trabalhar fora das dependências do presídio.

Dr Rubens Mencionou que a iniciativa está sendo elaborada e planejada a mais de um ano, “somente agora depois de muito estudo colocamos em prática”. O detento que aceitar a participação terá a remuneração no valor de R$- 12,00 por dia trabalhado, além disto, em cada três dias efetivados de trabalho terá ainda a diminuição de um dia na sua pena. De acordo com convênio assinado pelo Conselho da Comunidade com o Município de Maracaju, terá duração de dezenove meses, o pagamento será efetuado pela Prefeitura, sob fiscalização do Conselho da Comunidade.

De acordo com o Presidente do Conselho da Comunidade Rodrigo Olegário a sociedade sempre cobrou esse tipo de atitude, “ou seja, uma ocupação para os presos, e isso somente está acontecendo devido ao trabalho em conjunto de todos os poderes constituídos... acredito que a aplicação correta deste projeto será um passo gigantesco para suprir esta necessidade que é de âmbito nacional

O prefeito Dr Maurílio Ferreira Azambuja mencionou ao site Maracaju.News que se o projeto alcançar a plenitude de seus objetivos, será um avanço para a segurança pública do país, “este trabalho em parceria é imprescindível para termos sucesso, temos a intenção maior de valorização do ser humano, tirá-lo da margem da sociedade e inseri-lo com dignidade a nossa comunidade”. Dr Maurílio mencionou também as condições precárias que a maioria dos presídios do Brasil encontram-se “sabemos do problema das superlotações e das condições adversas que os presos se sujeitam no cumprimento das sanções, acredito que estando nas ruas trabalhando, o tempo vai passar mais rápido, além de acelerar a sua saída da cadeia, ainda terá um salário para contribuir com a sua dignidade e de seus familiares” concluiu Dr Maurílio

A promotora de Justiça Eni Maria Diniz relatou que este é um momento impar na história do Estado e também do País “a dificuldade de colocar um preso para trabalhar é imensa, por isso o que está sendo feito aqui em Maracaju e de uma magnitude sem igual, essa, sem dúvida, é uma forma de combater a marginalidade, o que sempre foi cobrado por nossa sociedade. Teremos dificuldades no começo, mas com certeza, unidos, vamos superar os problemas, parabéns a todos que encamparam essa idéia, sair do papel, ir para a prática. Com toda certeza os resultados serão proveitosos”.



Em entrevista ao Maracaju.News, o Juiz da Comarca Rubens Witzel Filho relatou que está trabalhando com a idéia do sucesso do projeto, “claro que não vamos descartar nada, tudo foi levado em consideração e hoje só é possível a conclusão dessa idéia graças a união dos poderes, sem um deles, isso não seria possível, todos estão imbuídos do mesmo objetivo, colocar em prática uma forma de ocupar o preso e ao mesmo tempo ele ser remunerado, sem causar danos a sociedade e sem colocar em perigo a população, por isso a certeza de sucesso”.

O Comandante da Polícia Militar de Maracaju, Cel. César Arar comentou que este é um sonho antigo da PM, “buscamos durante um ano esses parceiros, hoje é uma realidade, a população pode ficar tranqüila, os presos vão trabalhar nas ruas, estarão uniformizados, e com algemas nos pés e com a Polícia Militar fazendo a escolta ou seja não haverá perigo algum, além disso, vários já disseram que querem fazer parte do projeto, estarão na rua trabalhando, ganhando e diminuindo suas penas, ajudando suas famílias, vão se sentir útil, por esse motivos é que acreditamos no sucesso”

De início estão participando dois presos de Maracaju, que estão realizando a limpeza, urbanização das ruas do município, que de acordo com o comando da PM em Maracaju, hoje para iniciar o projeto a Polícia Militar de Maracaju têm condições plenas de escoltar e fiscalizar até cinco detentos.
 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos