Menu
SADER_FULL
terça, 20 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Em crise, setor calçadista demite 40 mil em dois anos

20 Abr 2007 - 16h20
 

A Frente Parlamentar do Setor Coureiro-Calçadista e Moveleiro apresentou nesta sexta-feira (dia 20) na Câmara dos Deputados um levantamento estatístico realizado em parceria com o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) evidenciando que nos últimos dois anos houve a demissão de 40 mil funcionários.

A causa apontada é a concorrência, aliada a altos tributos e ao Real valorizado frente ao dólar, o que dificulta as exportações. A maior concorrência é a da China, que produz dez vezes mais calçados que o Brasil e utiliza mão-de-obra 300% mais barata que a brasileira.

O levantamento também mostra que o setor emprega cerca de um milhão de brasileiros. Os dados foram apresentados pelo representante do Ministério do Desenvolvimento, Antônio Sérgio Martins, e pelo coordenador da Frente Parlamentar do Setor Coureiro-calçadista e Moveleiro, deputado Renato Molling (PP-RS), em audiência pública feita pela Comissão de Desenvolvimento Econômico para discutir a crise no setor coureiro-calçadista.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, Elcio Jacometti, ressaltou que o setor precisa aumentar as exportações. O setor calçadista já teve 10% do mercado americano e, atualmente, tem apenas 4%. "Nós somos autosuficientes na produção de calçado, produzimos de 700 a 750 milhões de pares de sapato e, se o Brasil não exportar, não consegue crescer sua indústria", disse durante a sessão.

O deputado Renato Molling apontou sugestões para aplacar a crise. "O câmbio seria a saída imediata, mas como nós sabemos que isso é difícil, temos a proposta de que haja um tratamento diferenciado para o setor, seja com a redução de impostos ou no INSS, porque é um setor que emprega muito. Também pedimos restrições à importação de calçados da China, que vêm atrapalhando o mercado interno aqui no País."

Já o coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva do Couro e Calçado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Wayner Machado da Silva, considera essencial a desoneração tributária do PIS, da Cofins e de encargos trabalhistas.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 VERBAS
Emissão de CPF e restituição do IR podem ser suspensas pela Receita
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade
100 TETO
Na busca por emprego, homem 'mora' em abrigo de papelão
PÂNICO NO ÔNIBUS
Atirador de Elite mata homem que fez reféns em ônibus
AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo
MORTE E COMOÇÃO
Jovem caminhoneira morre em acidente e comove colegas de toda a região