Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 19 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Em crise, setor calçadista demite 40 mil em dois anos

20 Abr 2007 - 16h20
 

A Frente Parlamentar do Setor Coureiro-Calçadista e Moveleiro apresentou nesta sexta-feira (dia 20) na Câmara dos Deputados um levantamento estatístico realizado em parceria com o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) evidenciando que nos últimos dois anos houve a demissão de 40 mil funcionários.

A causa apontada é a concorrência, aliada a altos tributos e ao Real valorizado frente ao dólar, o que dificulta as exportações. A maior concorrência é a da China, que produz dez vezes mais calçados que o Brasil e utiliza mão-de-obra 300% mais barata que a brasileira.

O levantamento também mostra que o setor emprega cerca de um milhão de brasileiros. Os dados foram apresentados pelo representante do Ministério do Desenvolvimento, Antônio Sérgio Martins, e pelo coordenador da Frente Parlamentar do Setor Coureiro-calçadista e Moveleiro, deputado Renato Molling (PP-RS), em audiência pública feita pela Comissão de Desenvolvimento Econômico para discutir a crise no setor coureiro-calçadista.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, Elcio Jacometti, ressaltou que o setor precisa aumentar as exportações. O setor calçadista já teve 10% do mercado americano e, atualmente, tem apenas 4%. "Nós somos autosuficientes na produção de calçado, produzimos de 700 a 750 milhões de pares de sapato e, se o Brasil não exportar, não consegue crescer sua indústria", disse durante a sessão.

O deputado Renato Molling apontou sugestões para aplacar a crise. "O câmbio seria a saída imediata, mas como nós sabemos que isso é difícil, temos a proposta de que haja um tratamento diferenciado para o setor, seja com a redução de impostos ou no INSS, porque é um setor que emprega muito. Também pedimos restrições à importação de calçados da China, que vêm atrapalhando o mercado interno aqui no País."

Já o coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva do Couro e Calçado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Wayner Machado da Silva, considera essencial a desoneração tributária do PIS, da Cofins e de encargos trabalhistas.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS