Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 22 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Eletroeletrônicos devem faturar R$ 125 bilhões em 2010

6 Ago 2010 - 15h04Por Agência Brasil

O faturamento da indústria de eletroeletrônicos deverá crescer 12% em 2010, na comparação com 2009.

A projeção da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) é de que o setor fature R$ 125,643 bilhões neste ano. Em 2009, o faturamento foi de R$ 111,839 bilhões.

A previsão consta do documento A Indústria Elétrica e Eletrônica em 2020 – Detalhamento e Atualização de Propostas, divulgado ontem (5) pela Abinee.

As áreas que registraram maior crescimento foram as de informática, equipamentos industriais e utilidades domésticas, que tiveram uma variação positiva de 15%.

De acordo com a Abinee, o faturamento da área de informática foi de R$ 35,27 bilhões em 2009 e deverá chegar a R$ 40,4 bilhões em 2010.

Já os equipamentos industriais, que tiveram faturamento de R$ 15 bilhões no ano passado, devem ampliar esses valores para R$ 17,18 bilhões.

E a de utilidades domésticas devem faturar R$ 15,381 bilhões em 2010, ante aos R$ 13,427 registrados em 2009.

“A maior área continua sendo a de informática”, avalia o coordenador do grupo de trabalho responsável pelo estudo, Aluizio Byrro.

“A meta do nosso setor é a de fazer com que o faturamento do setor de eletroeletrônicos passe de 4% para 7% do PIB [Produto Interno Bruto] até 2020”, acrescentou.

Ele reiterou a carência que o país tem em relação à formação de técnicos e engenheiros, e os “prejuízos sensíveis” causados pelo câmbio.

“Além disso, nos preocupa a necessidade de investimentos vultuosos, principalmente para a área de componentes”, afirmou.

“A situação ainda é muito boa para as empresas que atuam nas áreas ligadas a computadores, celulares e eletrodomésticos, mas as importações, uma das grandes preocupações do nosso setor, têm prejudicado.

Depois de uma abertura mal feita nos anos 90, cerca de 200 indústrias desapareceram por este motivo”, argumentou o presidente da Abinee, Humberto Barbato.

“Perdemos muito espaço por causa das importações”, completou Byrro, que defende “tornar realidade” o Plano Nacional de Banda Larga para amenizar os riscos para as empresas nacionais.

O estudo A Indústria Elétrica e Eletrônica em 2020 – Detalhamento e Atualização de Propostas é resultado dos debates entre empresas associadas à Abinee e autoridades governamentais.

O documento apresenta reflexões sobre os desafios do setor para os próximos 10 anos, bem como a formulação de propostas que possam promover o fortalecimento do setor elétrico e eletrônico do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara