Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 24 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Educação especial de MS terá novas diretrizes em 2005

9 Ago 2004 - 16h33
O Conselho Estadual de Educação (CEE-MS) realiza amanhã, às 9 horas, no auditório da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), em Campo Grande, mais uma audiência pública de normatização da educação especial no sistema de ensino de Mato Grosso do Sul. É a última oportunidade para instituições, associações, professores, pais, profissionais que atuam na área e demais interessados contribuir para o aperfeiçoamento da política de inclusão escolar das pessoas com necessidades educativas especiais.

A finalidade principal do evento é “ouvir a sociedade e conseguir mais parâmetros para atingir a inclusão em todas as escolas públicas e privadas”, afirma Eliza Cesco, presidente da Comissão de Reelaboração da Deliberação sobre a Educação Especial do Conselho Estadual de Educação.

A presidente acredita que participarão da discussão cerca de 500 pessoas. “Esse trabalho de adequar a deliberação para incluir pessoas com necessidades educativas especiais vem sendo realizado há um ano e seis meses. Agora já estamos na discussão final da adequação, para ser aprovada pelo conselho.”

Em Mato Grosso do Sul, as escolas estaduais já atendem 803 alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular. A inclusão também é feita por escolas municipais (169 alunos) e particulares e filantrópicas (4.946).

Segundo Eliza Cesco, “após a aprovação da nova deliberação pelo CEE, a Secretaria de Estado de Educação (SED) será responsável pela implantação, acompanhamento e orientação da norma nas escolas de todo o sistema de ensino, que inclui escolas estaduais, municipais e particulares”.

Todos os debates e reuniões são determinados pela Resolução do Conselho Nacional de Educação e da Câmara de Educação Básica nº2, de 11 de setembro de 2001. O parágrafo único dessa medida estabelece que “o atendimento escolar desses alunos – que apresentam necessidades educativas especiais – terá início na educação infantil, nas creches e pré-escolas, assegurando-lhes os serviços de educação especial sempre que se evidencie, mediante avaliação e interação com a família e a comunidade, a necessidade de atendimento educacional especializado”.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico