Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 15 de julho de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Economia informal movimenta R$ 578 bi e equivale ao PIB da Argentina

21 Jul 2010 - 14h48Por Folha Online

A economia informal movimentou R$ 578 bilhões no Brasil em 2009, o equivalente a 18,4% do PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas no país), aponta pesquisa divulgada pela FGV (Fundação Getulio Vargas) e pelo Etco (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial) nesta quarta-feira.

A cifra corresponde ainda a um valor próximo ao PIB da Argentina. O resultado da participação de economia subterrânea do país, que compreende a produção de bens e serviços não reportados ao governo, mostra um avanço em relação a 2003.

Naquele ano, os R$ 357 bilhões registrados representavam 21% do PIB. Na conversão para valores de 2009, essa cifra saltaria para R$ 523 bilhões.

Segundo os pesquisadores, o que explica esse aumento é uma base maior do PIB - quase dobrou no período -, ou seja, o valor movimentado pela economia subterrânea pouco se alterou, porque a renda do brasileiro também subiu.

De acordo com o pesquisador do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV, Fernando de Holanda Barbosa Filho, uma das variáveis que mais contribuiu para a queda na participação da economia subterrânea em relação ao total foi a busca pelo crédito. Isso significa que empresas e trabalhadores preferem arcar com o custo da formalização para ter acesso a financiamentos.

Uma melhora no sistema de fiscalização no pagamento de tributos e o crescimento de pequenas empresas também contribuíram para a queda no percentual.

Para se chegar ao nível da economia subterrânea, os pesquisadores fazem cálculos baseados na demanda de moeda e número de trabalhadores informais, além de outras variáveis.

OUTROS PAÍSES

De acordo com Barbosa, o nível da economia não contabilizada ainda está aquém do ideal, mas já mostra avanço. A análise é feita com base no índice médio observado em países da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), em que a movimentação subterrânea representa cerca de 10% do PIB.

Já os países emergentes apresentam índice médio de 30% de toda a riqueza circulando fora do circuito formal da economia.

"Em geral uma grande saída (para diminuir o percentual) seria reduzir a carga tributária e a burocracia", aponta Barbosa. Ele acredita que a tendência de queda na economia subterrânea se mantenha pelos próximos anos no Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGEDIA NA RODOVIA
Morte trágica de três pessoas na PR-082, comove população
BRIGA DE FAMILIA
Pai desfere 15 golpes de facão em filho adolescente
VIOLENCIA DOMESTICA
Pai é morto a marteladas pelo filho um dia antes de aniversário
NÃO QUER QUE ELE USE
Mãe apaga narguilé do filho adolescente e leva chinelada
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que está apaixonado de verdade por Maria da Paz em 'A dona do pedaço'
VAQUINHA VIRTUAL
Com dinheiro de vaquinha, morador de rua que ajudou idosa durante temporal no Rio compra casa
DURANTE MISSA
Padre Marcelo Rossi cai do altar após ser empurrado em missa
ASSASSINATO
Prefeito é morto a tiros por vereador após discussão
ATROPELAMENTO FATAL
Freira Franciscana coordenadora de catequese morre atropelada por carro
ASSASSINATO
Homem é morto na frente da filha de 11 anos por causa de dívida