Menu
SADER_FULL
domingo, 18 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Dourados recebe novo modelo de Usina de Álcool

14 Ago 2007 - 15h40
O Grupo São Marcos Energia e Grupo Bertin apresentou em Audiência Pública que aconteceu no dia 21 de março em Dourados (MS), projeto de instalação e operação da Usina São Fernando Açúcar e Álcool pautado no desenvolvimento sustentável e na governança corporativa, no qual se destaca o respeito às relações trabalhistas e sociais, a inovação tecnológica, a cogeração e a eliminação da queima da palha como características do novo modelo de gestão sucroalcooleira.

A Usina São Fernando, que ficará localizada a 12 quilômetros do perímetro urbano, na região do Curral de Arame, não terá problemas quanto ao mal cheiro na cidade. O projeto atende os padrões de qualidade do ar estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. De acordo com o RIMA (Relatório de Impacto Ambiental) disponível ao público, a localização estratégica garante a menor interferência ambiental possível, pois o cultivo será feito em área plana, o que facilita o uso de máquinas na colheita, que por sua vez elimina a tão temida queima da palha (processo que causa o mal cheiro). O cultivo da cana também é excelente para recuperar o solo antropizado do local, em sua maior parte desgastado pelas pastagens, não havendo desmatamentos ou qualquer interferência com a vegetação nativa da região.

O Grupo Bertin tem quase 30 anos de mercado e atua no segmento de agroindústria e infra-estrutura. Atualmente, o grupo gera mais de 20 mil empregos no Brasil. O outro parceiro no projeto é o Grupo São Marcos Energia Ltda., com larga experiência na produção de cana-de-açúcar e que atua no ramo desde 1981. Ambos apostam na Revolução Energética que está sendo implementada no Brasil, com a busca de novas alternativas na produção de energia limpa, o álcool.

Responsabilidade social

Uma área de 30 mil hectares de lavoura será compreendida pelos agricultores locais, onde serão estabelecidos contratos de arrendamento e de parceria agrícola. Através do apoio de órgãos públicos, como o SENAR, SESI e SENAI, diversos investimentos em programas sócio-ambientais serão promovidos pelo grupo para beneficiar tanto famílias envolvidas no projeto quanto a própria comunidade, tais como: programa de capacitação da mão-de-obra local, educação ambiental nas escolas, segurança do trabalho, reflorestamento, reciclagem, tratamento de efluentes, entre outros.

Pautada no desenvolvimento sustentável, a gestão ambiental será considerada tão importante quanto a própria produção agrícola e industrial. A água, utilizada para resfriar caldeiras, será tratada para sua reutilização. O volume restante será devolvido de forma pura ou não nociva ao ambiente, evitando assim a contaminação de cursos de rios e mananciais em subterrâneos. A vinhaça - líquido formado pelo processo de destilação do caldo da cana - será reaproveitada como fertilizante orgânico para a lavoura de forma a não prejudicar o lençol freático.

A cogeração será feita através da queima do bagaço da cana em caldeira para produção de vapor para geração de energia, sendo que uma média de 30% aproveitada para o auto-consumo da usina (iluminação e acionamento de motores de máquinas) e o restante comercializado no mercado. A cogeração oferece vantagens, como: a auto-suficiência energética e a redução de impactos ambientais.

Biocombustível

A Usina São Fernando já possui o licenciamento prévio, aprovado pela Secretaria do Estado do Meio Ambiente (SEMA/MS), e agora aguarda a liberação do licenciamento para instalação. A capacidade de moagem da usina é de 4.000.000 de toneladas de cana por safra para produzir 6.450.000 sacas de açúcar e 97.800 metros cúbicos de álcool por safra.

A área de cana hoje no Brasil é de seis milhões de hectares, enquanto a soja possui 24 milhões, e as pastagens, 220 milhões de hectares. A cana não ocupa mais que 1% da área agrícola do país, estando longe de comprometer outras culturas, sobretudo, longe de promover a escassez de alimentos.

Vale ressaltar que o Brasil é reconhecido mundialmente como pioneiro na utilização em larga escala do etanol (álcool etílico), combustível limpo e renovável, que reduz as taxas de emissão de poluentes na atmosfera, provenientes da utilização de combustíveis fósseis (petróleo).

Com este novo modelo, a implantação da Usina São Fernando pode contribuir para o desenvolvimento econômico do município gerando empregos, renda e produtividade para a região. Com isso, Dourados terá a oportunidade para entrar no caminho da industrialização e modernização, e por fim se inserir no mercado global de forma competitiva e responsável.

 

 

 

 

Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto