Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 10 de dezembro de 2018
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Dólar tem maior queda em 3 semanas e volta ao patamar de R$ 1,75

16 Ago 2010 - 16h39Por Folha Online

A taxa de câmbio doméstica voltou ao "piso" de R$ 1,75 nesta segunda-feira, registrando a maior queda em mais de três semanas. A forte entrada de capital no mercado brasileiro e a redução da aversão ao risco contribuíram para a desvalorização da moeda norte-americana.

O dólar comercial atingiu R$ 1,757 nas últimas operações do dia, em queda de 0,84% sobre o fechamento de sexta-feira --a maior desde 22 de julho. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,756 e R$ 1,773. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo fechou em R$ 1,88, queda de 0,52%.

Ainda operando, a Bovespa sobe 0,66%, aos 66.701 pontos. Nos EUA, a Bolsa de Nova York opera em queda de 0,01%.

"Com a economia norte-americana indo mal, o dólar vai se desvalorizar. A entrada de dinheiro no Brasil é muito grande, porque a taxa de juros aqui está em 10,75% ao ano. Se não tiver nenhuma novidade negativa nos próximos dias, a gente pode testar um novo piso de R$ 1,70", afirmou André de Carvalho Ferreira, da corretora Futura.

Além disso, de acordo com Ferreira, as declarações do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, em Belo Horizonte hoje ajudaram a melhorar o cenário no mercado.

De acordo com a agência Bloomberg, Meirelles afirmou que o Brasil está em um "círculo virtuoso" de baixo risco inflacionário, queda na dívida pública, e aumento das reservas internacionais, o que está constribuindo para uma "queda consistente" nas taxas de juros.

A pesquisa Focus, do BC, divulgada nesta segunda-feira, mostra que a projeção para a inflação oficial, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), ficou estável para 2010 (5,19%) e para 2011 (4,80%). Nos últimos 12 meses terminados em julho, o índice acumula alta de 4,6%, quase no centro da meta (4,5%) determinada pelo governo federal.

JUROS FUTUROS

A afirmação de Meirelles mexeu com o mercado futuro de juros, que serve de referência para o custo dos empréstimos nos bancos, e as taxas projetadas fecharam em queda.

No contrato para outubro deste ano, a taxa prevista passou de 10,72% para 10,69%; no contrato para janeiro de 2011, a taxa projetada foi de 10,77% para 10,74%; e no contrato para janeiro de 2012, a taxa prevista caiu de 11,48% para 11,34%.

Esta última chegou a cair 1,8 ponto percentual durante a sessão, para 11,29%, a maior queda intraday desde 2 de outubro. Os números são preliminares e estão sujeitos a ajustes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVARDIA
Mulher agride menino autista em playground e vídeo viraliza
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Nicolau descobre que Diana luta karatê e fica em choque
ACUMULOU
Ninguém acerta a mega-sena e prêmio acumula em R$ 30 milhões
VIOLENCIA
'Tiro, porrada e bomba': festa em universidade acaba em pancadaria e PM responde com violência
NOVELA GLOBAL
Gabriel confronta Valentina em “O Sétimo Guardião”
ARROCHO
Regra defendida por Bolsonaro tira R$ 1,1 mil por mês das novas aposentadorias
BARBÁRIE
Mulher é presa após atear fogo em cachorro
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Feliciano foi muito rico e ajudou Valentina no passado
SE DEU MAL
Assaltante é morto após fazer idosa de 83 anos refém no Rio de Janeiro
ROUBO MILIONÁRIO
Homens invadem banco, trocam tiros com polícia e fogem com R$ 1 milhão