Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Dólar fecha em queda de 0,14%, a R$ 2,034

4 Abr 2007 - 17h29
O dólar comercial encerrou a quarta-feira em seu terceiro dia consecutivo de queda. Nos últimos negócios, a moeda americana atingiu a cotação de R$ 2,034 no valor de venda, uma baixa de 0,14% sobre o fechamento anterior. Durante a tarde, a taxa chegou a cair ao piso de R$ 2,029, valor que o Banco Central usou como valor de corte para seu tradicional leilão de compra.

A taxa de risco-país manteve em seu piso histórico, dos 164 pontos (recuo de 0,60%), medido pelo indicador Embi, do banco JP Morgan.

Profissionais de corretoras de câmbio apontam o relativo alívio com a situação no Irã, que libertou os 15 soldados britânicos detidos desde o último dia 23, o que permitiu um recuo nos preços do barril de petróleo, com impactos nos mercados mundiais.

No front doméstico, analistas de mercado continuam a esperar para o curto prazo a taxa de câmbio em torno dos R$ 2,00. "Você pode ter uma certeza: quando o mercado estabelece uma meta, e o mercado estabeleceu como 'meta' o dólar a R$ 2,00, vai chegar lá. Pode até atingir e voltar [para uma cotação superior], mas deve atingir esse preço", afirma Júlio Cesar Vogeler, da corretora DidierLevy.

Alguns economistas já avaliam que a taxa de juros básica do país está "desalinhada" com a taxa de risco-país. O nível considerado alto dos juros básicos têm "garantido" um fluxo constante de recursos financeiros para o país. Sem fatores externos de pressão sobre os ativos financeiros, o mercado de câmbio mantém a tendência de queda das taxas, tendo pouco efeito os leilões diários de compra da moeda pelo BC.

Vogeler nota que o fluxo positivo no mercado foi bastante positivo na jornada de hoje. Com a perspectiva de três dias sem mercado, os bancos tendem a desmontar suas posições em moeda americana --a se desfazer do ativo-- como forma de precaução contra eventuais estresses durante o feriado prolongado.

No mercado futuro de juros, os principais contratos negociados tiveram um repique após as fortes quedas de ontem. No contrato DI de janeiro de 2008, a taxa projetada foi de 11,95% ante 11,94% na jornada de terça-feira. O contrato de janeiro de 2009 projetou taxa de 11,60% ante 11,56% no fechamento de ontem. E no contrato de janeiro de 2010, a taxa projetada foi de 11,49% ante 11,47% na terça-feira.
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico