Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 18 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Dólar acompanha reação pós-Fed e fecha estável

7 Ago 2007 - 16h24

O dólar fechou estável nesta terça-feira, acompanhando a melhora dos mercados estrangeiros após um estresse inicial com a decisão do Federal Reserve. A moeda norte-americana encerrou a R$ 1,907. É a terceira sessão consecutiva em que o dólar se mantém acima de R$ 1,90.

O mercado de câmbio manteve a postura cautelosa das últimas sessões à espera do evento econômico mais aguardado da semana. Os investidores já esperavam que o Fed mantivesse o juro em 5,25% ao ano, mas estavam ansiosos por uma avaliação do Fed sobre o impacto dos problemas no setor de crédito sobre o restante da economia.

No comunicado que acompanhou a decisão, o Fed afirmou que, embora o aperto nas condições de crédito tenha elevado os riscos ao crescimento, a principal preocupação ainda é a de que a inflação não desacelere.

"O Fed está com uma preocupação muito grande em relação à evolução da inflação americana, e não é por uma situação que eles nem têm idéia do alcance (problemas no setor de crédito) que eles estariam dispostos a já reduzir a taxa de juro", comentou Vanderlei Arruda, gerente de câmbio da corretora Souza Barros.

O dólar subiu frente ao real após o anúncio, acompanhando a piora das bolsas de valores em Nova York e São Paulo. Os mercados estrangeiros, porém, rapidamente reverteram a trajetória e voltaram a operar em alta, o que contribuiu para o fechamento estável da moeda norte-americana.

Arruda espera que o mercado de câmbio continue cauteloso "nos próximos dias ou até na próxima semana", à espera de uma definição do cenário externo. Ainda assim, a oferta de dólares de exportadores pode reduzir a cotação do dólar, na opinião do gerente.

Para Sidnei Moura Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora, a redução da volatilidade no mercado de câmbio também pode ser explicada pelas medidas anunciadas pelo Banco Central no início de junho, que limitavam a exposição cambial dos bancos.

As posições vendidas em dólar, que apostam na queda da moeda norte-americana, eram apontadas por analistas na primeira metade do ano como um dos fatores que pressionavam a cotação do dólar para baixo. Após o recorde de US$ 15,79 bilhões no final de maio, essas posições caíram a US$ 2,74 bilhões no fim do mês passado.

Perto do encerramento da sessão, o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista. A autoridade monetária definiu corte a R$ 1,9130 na operação e aceitou, segundo operadores, ao menos seis propostas.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto