Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 25 de agosto de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Dólar abre a semana em baixa de 0,31%, cotado a R$ 2,846

18 Out 2004 - 09h04

O dólar à vista abriu em baixa de 0,31% nesta segunda-feira, sendo negociado por R$ 2,846 na compra e R$ 2,848 na venda. No mercado de títulos da dívida externa, o C-Bond opera em alta de 0,18%, cotado a 99,31% do seu valor de face. O risco-país brasileiro recua 0,86%, aos 460 pontos-base.

A contar pelo comportamento do petróleo neste início de dia, a commodity deve continuar no centro da atenções dos mercados em todo o mundo. O barril de petróleo atingiu novo recorde na bolsa de futuros de Nova York, superando os US$ 55. Com a aproximação do inverno no Hemisfério Norte e o aumento da demanda por derivados de petróleo, a commodity deverá continuar a gerar volatilidade e dúvidas.

O destaque no Brasil nesta semana é a reunião mensal do Copom (Comitê de Política Monetária), que acontece na terça e quara-feira. O mercado futuro está posicionado para uma elevação de 0,25 ponto percentual na taxa Selic, hoje de 16,25% ao ano. O petróleo, mais uma vez, é uma das principais variáveis que justificam a aposta dos analistas, já que o Banco Central busca calibrar a inflação e garantir o cumprimento da meta para 2005.

As boas notícias do cenário interno continuam a acontecer. Além da desaceleração da inflação medida pelos índices de inflação mais importantes, o fluxo cambial tende a se manter positivo. As exportações continuam vigorosas e as captações externas se mantêm ativas. Na semana passada, três instituições financeiras voltaram a captar recursos no exterior. O Safra obteve US$ 100 milhões em títulos de três anos. Outras operações devem ser fechadas este mês, segundo informam as mesas dos bancos.

Com os ingressos de recursos ao país, a tendência é o dólar amortecer boa parte do nervosismo dos mercados nos momentos mais críticos. A procura por proteção cambial continua baixa e a oferta garante suprimento a importadores ou outras empresas com compromissos no exterior. Por conta da baixa demanda por dólares, o Banco Central tem deixado de renegociar suas dívidas atreladas ao câmbio, reduzindo sua exposição ao risco de oscilações do dólar.


Globo On line

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção