Menu
SADER_FULL
segunda, 16 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Doenças crônicas poderão ter remédios gratuitos

21 Jul 2004 - 10h11
As doenças crônicas poderão ser incluídas nos casos atendidos pelos programas públicos de distribuição de remédios. A mudança está prevista no projeto de lei 3706/04, do deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ). Pela proposta, é considerada doença crônica toda enfermidade de longa duração e que provoque invalidez em graus variáveis, devido a causas não-reversíveis, que exigem formas particulares de reeducação, terapias permanentes, controle periódico ou tratamento regular.

Relação de doenças
De acordo com o texto do projeto, incluem-se no conceito de doenças crônicas, estabelecidas pelo Ministério da Saúde, entre outras, as seguintes doenças:
1 - Insuficiência cardíaca congestiva ou cardiomiopatia;
2 - Doença pulmonar crônica ativa ou asma crônica;
3 - Artrite Reumatóide, Artrite Reumatóide Juvenil ou Artrite Psoriática;
4 - Lupus Eritromatoso Sistêmico, Espondilite Anquilosante, Dermatomiose ou Paraplegia;
5 - Miastenia grave ou doença desmielinizante;
6 - Doença do neurônio motor ou Mal de Parkinson;
7 - Aids;
8 - Diabetes e Fibromialgia;
9 - Câncer e Psoríase Crônica.

Medicamentos
De acordo com o projeto, os portadores de doenças crônicas receberão, gratuitamente, do Sistema Único de Saúde (SUS), através de Secretarias Estaduais ou Municipais de Saúde, toda a medicação e material médico necessários ao seu tratamento. Para isso, estarão isentos da necessidade de realizar procedimentos judiciais. A proposta determina também que a aquisição do medicamento ou material deverá ser feita diretamente nas Secretarias Estaduais ou Municipais de Saúde e só poderá ser feita com a apresentação de Laudo Médico e Receituário do SUS ou Unidade Hospitalar respectiva, com validade inferior a 30 dias; as Secretarias Estaduais e Municipais deverão se adequar para atender os respectivos pacientes, disponibilizando os medicamentos de forma centralizada em um único setor, unidade hospitalar, local ou departamento.

Prazos e recursos
A aquisição dos medicamentos e materiais, conforme o projeto, será efetivada no prazo de 5 dias a partir da apresentação do requerimento e apresentação do laudo e receituário médico. As despesas decorrentes do fornecimento dos respectivos medicamentos e materiais serão provenientes dos recursos orçamentários do SUS repassados ao estado e município. A previsão orçamentária e a distribuição deverão ser calculadas para que não haja interrupção no fornecimento da medicação. Se a prescrição médica caracterizar tempo indeterminado ou necessidade do fornecimento do medicamento ou material por mais de um mês, as secretarias estaduais e municipais deverão fornecer o medicamento e material de acordo com esta previsão e paralelamente deverão realizar o acompanhamento deste paciente. Pelo projeto, os estados e municípios ficam obrigados a informar aos portadores de doenças crônicas sobre acordos bilaterais sobre distribuição específica de cada medicamento.

Agilidade no processo
Eduardo Paes explica que seu projeto visa, a exemplo do que se faz em âmbito federal em relação à Aids, agilizar o processo para aquisição do medicamento, mediante a padronização dos tratamentos de doenças crônicas e minimização dos procedimentos burocráticos. "Nesses casos, a interrupção ou a falta de tratamento necessário pode implicar em complicações mais graves e, por vezes, irreversíveis", ressalta o autor da proposta. Ele destaca também que a proposta objetiva responsabilizar objetivamente o estado e município "pelos danos provocados em virtude dos costumeiros atrasos de fornecimento de medicamentos e materiais, cuja gratuidade decorre da legislação que disciplina o SUS."

Tramitação
O projeto tramita apensado ao PL 2672/02, do Senado Federal, que inclui os portadores dos vírus das hepatites no benefício de distribuição gratuita de medicamentos, já previsto para os portadores do HIV e doentes de AIDS. As matérias, que tramitam em caráter conclusivo, estão na Comissão de Seguridade Social e Família, onde foi designado como relator o deputado Rafael Guerra (PSDB-MG). As proposições também serão apreciadas pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
SUPERSTIÇÃO
Primeira sexta-feira 13 do ano com noite de lua cheia pode ser perigosa, alerta taróloga
ESPORTE
Poderá o poker se tornar olímpico?