Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 18 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Diretor do Presídio Federal de Catanduvas pede demissão

2 Jun 2007 - 10h24

O diretor da Penitenciária Federal de Catanduvas (PR), Ronaldo Urbano, pediu demissão do cargo anteontem. Mesmo dia em que uma comissão da Câmara dos Deputados visitou a penitenciária para checar os relatos de problemas.

A direção do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), informou que não há relação entre os fatos. O órgão informou que a saída foi por iniciativa própria, ocorreu há alguns dias, e publicada no "Diário Oficial" somente anteontem.

O afastamento ocorreu 45 dias após a reportagem revelar problemas decorrentes de uma queda-de-braço entre o ex-diretor e agentes penitenciários da unidade, inaugurada em junho do ano passado, alardeada como superpresídio na época. Urbano não foi localizado ontem para comentar sua saída. A reportagem também não conseguiu contato com o Sindicato dos Agentes Penitenciários Federais de Catanduvas.

O delegado aposentado da PF Francisco de Assis assumiu a função interinamente. Destacado para dirigir o terceiro presídio federal de segurança máxima, que o governo deve inaugurar no próximo semestre em Mossoró (RN), Assis ficará na direção de Catanduvas até a escolha do próximo diretor.

Urbano dirigia a penitenciária desde sua inauguração. O traficante Luiz Fernando da Costa, o "Fernandinho Beira-Mar", foi o primeiro a ocupar a cadeia. Hoje são 164 detentos, com 208 vagas ao todo.

Relatório

Os problemas apontados no presídio constam em um relatório interno do serviço de inteligência da PF. O documento apontava a existência de agentes penitenciários com antecedentes criminais e desvios de conduta, falhas graves de segurança, influência de presos - como Beira-Mar - sobre os agentes e a prática de tortura contra presos, entre outros pontos.

A disputa interna na unidade, segundo o relatório, foi motivada pela decisão do Ministério da Justiça de vincular os agentes ao Depen, e colocar homens da PF nos cargos de chefia da cadeia. O Depen disse, na época, que o relatório retratava um cenário do período da inauguração do presídio, sem refletir a realidade da unidade.

A comissão que visitou Catanduvas ainda não apresentou o relatório. O deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da comissão, confirmou a investigação sobre tortura, mas não constatou a influência de presos nem a possibilidade de comunicação externa.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto