Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 26 de junho de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Diretor do BC pede demissão após denúncia de sonegação

28 Jul 2004 - 09h45
O diretor de Política Monetária do Banco Central, Luiz Augusto Candiota, pediu demissão hoje do cargo. Ele disse ter tomado a decisão devido às denúncias publicadas no último final de semana pela revista 'IstoÉ', que apontam Candiota e o presidente do BC, Henrique Meirelles como alvos de investigação do Ministério Público e da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Banestado por suspeita de sonegação fiscal e evasão de divisas.

Em pronunciamento feito hoje, Meirelles negou mais uma vez que as denúncias sejam verídicas e afirmou que a decisão de afastar Candiota do cargo partiu do próprio diretor. 'Respeitamos a decisão pessoal do Candiota. Essa atitude não foi tomada pelo governo', disse Meirelles. O presidente do BC também negou que tenha ele próprio pensado em se afastar do cargo por conta das denúncias.

'São denúncias inconsistentes. A jurisprudência é firmadora e está totalmente esclarecida na nota emitida pelo Banco Central na última sexta-feira', disse, referindo-se ao comunicado divulgado pela instituição que afirma que o presidente, nos anos em que é acusado de sonegação, residia nos EUA e, por isso, não precisava apresentar declaração de rendimentos no Brasil.

Em entrevista, Candiota preferiu ler o pedido de demissão que encaminhou ao presidente do BC e ao ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em que afirmou ter optado pelo afastamento para 'preservar' a imagem do Banco Central e do Brasil. Ele também voltou a negar as acusações.

'Entendo que na minha permanência na função, a partir de agora, será prejudicial ao Banco Central do Brasil, ao mercado financeiro e ao país, pois as acusações à minha pessoa acabam por atingir o órgão de que faço parte', disse. "Por essas razões, solicitei a minha exoneração imediata.'

Para a direção de Política Monetária, Meirelles e Palocci, indicaram Rodrigo Telles de Rocha Azevedo. Gaúcho, Rocha Azevedo é bacharel em economia pela Universidade de São Paulo e doutor em economia pela universidade Illinois (EUA). Foi analista da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo e atualmente ocupava o cargo de diretor-executivo do Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston.

Como a indicação de Rocha Azevedo ainda deve ser aprovada pelo Senado e como a exoneração de Candiota é imediata, sua função será acumulada por outro diretor do BC interinamente.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Acadêmico de Medicina morre com suspeita de dengue hemorrágica
INSTINTO ASSASSINO
Jovem leva 23 perfurações pelo corpo dois dias após se separar e fica em coma induzido
CRUELDADE
Adolescentes torturam e matam garota por causa de ciúmes, divulgam vídeo e são apreendidas
HABEAS CORPUS
Segunda Turma do STF mantém Lula preso
TRAGEDIA NA RODOVIA
Uma pessoa morre e cinco feridos após carro da Secretaria de Saúde bater em caminhão
ESCRAVIDÃO
Mulher era mantida em cárcere privado por 20 anos
MONSTRUOSIDADE
Bebê de 9 meses é estuprado e espancado até a morte
QUADRO ESTÁVEL
Após acidente e cirurgia às pressas, Filho de Huck e Angélica deixa UTI
CIGARREIRO
Homem morre após capotar carro carregado com cigarros
ASSÉDIO SEXUAL
Dany Bananinha sofre assédio em praia do Rio e impede nova vitima: 'Me tremi toda'