Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Dia Mundial do Meio Ambiente, Grazielle homenageia Grupo Acaba

5 Jun 2007 - 16h34
Durante sessão solene alusiva ao Dia Mundial do Meio Ambiente (05.06) na Câmara Municipal de Campo Grande, a 1ª Secretária da Casa, vereadora Grazielle Machado (PR) homenageou com a 5ª Edição do Prêmio Ecologia e Ambientalismo o Grupo Musical Acaba.
 
O Acaba se constitui num grupo ativista em defesa da preservação do Pantanal, e do Homem Pantaneiro, denunciando as atrocidades praticadas aos índios e comunidades em minorias. Participante ativo dos movimentos culturais de Mato Grosso do Sul, com diversas premiações em festivais e amostras musicais.
 
O grupo Acaba Canta-Dores do Pantanal surgiu nos movimentos universitários da década de 60 com o intuito de pesquisar, desenvolver e divulgar o folclore de nosso Estado, e por razões de naturalidade se voltou  defesa do Pantanal. Tem como lema: “um povo só se torna grande e independente quando tem sua cultura preservada, ou quando tem coragem para assumir sua primitividade”. Em suas composições, o grupo descreve em suas letras o homem, a fauna e flora, e em suas músicas a alegria das cores e as dores da raça pantaneira.
 
Acaba é o grito de socorro e de advertência em defesa do autêntico povo pantaneiro, sua  rude e primitiva cultura, e do último santuário ecológico ainda não poluído pelo homem, é a vibração do último gemido dos Itatins, dos Guatós e dos Ofaié-Xavantes, dos tropéis dos Cavaleiros Guaicurus, do silente deslizar do batelão, em busca de Kananciuê, o Deus Maior, é o triste canto do biguá e o grito sufocado da ariranha, pedindo um céu e um rio onde possam sobreviver.
 
Apresentação
Na próxima sexta-feira (08.06), o grupo participa da Programação da Sinfonia Ecológica Brasileira. O Programa do espetáculo é um verdadeiro passeio ecológico e cultural pelas florestas, pantanal, cerrados, rios e mar brasileiro. A alvorada, o burburinho dos corixos, a revoada dos pássaros, a queimada das florestas, serão momentos inesquecíveis que ficarão na memória de todos aqueles que assistirem à Sinfonia Ecológica Brasileira. A abertura será feita pela Orquestra Municipal de Campinas apresentando a Alvorada da ópera O Escravo, de Carlos Gomes, sucedendo-se com composições inéditas de pesquisadores da cultura ecológica brasileira, como Moacir e Chico de Lacerda, Tetê Espíndola, passando pelo maestro Cyro Pereira e grandes compositores como Heitor Vila Lobos e Ary Barroso. A apresentação na Capital será única e gratuita. Em seguida, o grupo segue para apresentações em Corumbá e Cuba.
 
 
 
Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação