MEGA_OKA_CARROS_
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 12 de Dezembro de 2017
RIO_DOURADOS
DELPHOS_FULL
21 de Dezembro de 2004 07h25

Detectado 1º caso de ferrugem

O município de Maracaju que tem em sua história a maior área plantada de soja, chegando perto de 190 mil hectares, apresenta o primeiro caso de ferrugem asiática.
A ferrugem asiática vem causando um estrago nas lavouras de soja em alguns estados brasileiros. No MS este é o sétimo caso, os outros municípios são em Dourados, Coronel Sapucaia, Ponta Porã, Antonio João (Fazenda Itamarati). A confirmação aconteceu na tarde desta segunda feira (20), pelo engenheiro pesquisador da Fundação MS, Edson Borges.
O chefe do setor de pesquisa da Embrapa, Renato Moscoe, explicou que ainda não foi detectado qual o grau de contaminação da doença na safra 2004/2005, mas a ferrugem asiática vem causando prejuízos para agricultura do Estado, na safra anterior, cerca de R$ 750 milhões aos produtores do Mato Grosso do Sul, sofreram perdas com a doença.
Recentemente foi inaugurado no município um laboratório de análise e já existem mais de 20 produtos no mercado que, após detectado o foco, poderão usar sua tecnologia no combate à doença, porém, a aplicação deverá ser realizada em áreas afetadas após ser analisado o estágio da ferrugem.
O engenheiro pesquisador da Fundação MS declarou ao Diário MS, que a entidade está pronta para atender todo produtor rural, basta que dirijam-se à sede, ou entrem em contato, para que o problema seja sanado tão rápido e o caso não tome dimensões diferentes. “Espera-se uma boa safra para o município, mas para isso é preciso ter cautela e os cuidados necessários neste período de crescimento da soja.”

Ferrugem asiática deixa a classe produtora em alerta no município
A classe produtora em Maracaju após detectado o primeiro caso da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) na fazenda Barro Preto, deverá ficar em alerta, acompanhar de perto sua ocorrência, caso exista, principalmente nesta época onde as chuvas são mais freqüentes.
Para o engenheiro pesquisador da Fundação MS, Edson Pereira Borges, o caso ferrugem asiática na fazenda “Barro Preto” detectado pelo laboratório de diagnose é um caso isolado, mas que após a doença ser constatada, a classe deverá se manter vigilante e longos períodos de monitoramento.
O engenheiro agrônomo explica, que o produtor deverá verificar as lesões nas cultivares, que predominam na cor castanho claro porém, quando em alta incidência, a predominância da coloração é castanho avermelhado. Todo início da doença vem nas folhas inferiores e caracterizadas por pontos minúsculos mais escuros do que o tecido sadio da folha, com coloração esverdeada a cinza esverdeada. A aplicação dos fungicidas tem que ser na hora certa, em determinados casos até três vezes”, disse Borges ao Diário MS.
A Fundação MS, segundo Borges, está à disposição da classe para maiores esclarecimentos. Edson alerta ainda com relação a chuva que caiu no domingo 57 milímetros, pode facilitar transmissão da ferrugem asiática.
Já o produtor rural Irineu José Busatto que planta no município 1.800 hectares de soja, declarou ao Diário MS que faz um freqüente monitoramento de controle da ferrugem na sua área plantada e que este primeiro caso deixa em alerta toda classe.
“Nós vigiamos toda a área plantada diariamente, até porque é muito rápido o desenvolvimento da ferrugem asiática e hoje temos o combate através de fungicidas, mas tem que ser adiada a aplicação de produtos para controle o tempo que se fizer necessário, já que os produtos têm um custo elevado e acaba refletindo no custo da produção final da soja”, disse o produtor rural.
 
 
Diário MS
Comentários
Veja Também
MBO_SEGURANÇA_300
FARMÁCIA_CENTROFARMA_300
LOJA_02
Últimas Notícias
  
ÓTICA_DOURADOS
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.