Menu
SADER_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Deputado cobra MP sobre obra orçada e não concluída

23 Ago 2007 - 11h15
Trecho de obra paralisado na rodovia MS-276, entre o distrito de Indápolis, no município de Dourados, e o distrito de Lagoa Bonita, em Deodápolis, está intrigando o deputado estadual Zé Teixeira (Democratas).
 
"Trata-se de um descaso desmedido, um desrespeito aos cofres públicos, digno de intervenção do Ministério Público", avaliou o deputado, representante da região na Assembléia Legislativa.
 
O curioso, segundo o deputado, é que já se passaram três governos e um trecho de apenas 7 quilômetros deixou de ser concluído mesmo a obra tendo sido licitada e orçada no Plano de Aplicação do Fundersul (Fundo do Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul), durante o governo de Zeca do PT.
 
O MP já investiga supostas denúncias de irregularidades envolvendo Zeca e alguns de seus secretários, inclusive o de Coordenação Geral de Governo, Raufi Maques, acusado pela ex-funcionária pública Ivanete Leite Martins, 45 anos, de desvio de R$ 30 milhões na Casa Civil.
 
Antes de qualquer posição do MP, Zé Teixeira protocolou, esta semana, indicação na Mesa Diretora da Assembléia Legislativa sugerindo que o governador André Puccinelli (PMDB) conclua a obra.
 
Segundo ele, a obra foi orçada no Plano de Aplicação do Fundersul (Fundo do desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul), durante o governo anterior, no entanto, até agora o que sobrou foi prejuízo para o bolso da população e para a empreiteira que ganhou a concorrência pública.
 
Zé Teixeira se baseia no cumprimento da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) que prevê até cadeia para o agente público que não concluir obras e deixar restos a pagar.
 
“A obra começou no governo de Pedro Pedrossian e faltaram 2 quilômetros para chegar no Rio Dourados e mais 5 quilômetros para chegar à rodovia que liga o distrito de Culturama (Fátima do Sul) a Lagoa Bonita”, alertou.
 
O pedido foi feito, por meio de indicação, ao secretário de Estado de Obras Públicas e de Transportes, e diretor-presidente da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul), Edson Giroto.
 
O deputado justifica que com freqüência tem recebido reclamações dos produtores rurais quanto ao péssimo estado de conservação da rodovia pavimentada MS-276, no trecho entre os dois distritos.
Segundo ele, a rodovia recebe grande movimentação de veículos pesados, porque é
muito utilizada no escoamento da produção agropecuária da região, altamente produtiva.
 
A rodovia, conforme o parlamentar, apresenta precárias condições de conservação que coloca seus usuários em constante risco de acidentes e prejuízos, arcados pelos proprietários e produtores, diante dos constantes consertos das avarias aos veículos.
 
De acordo com Zé Teixeira, se não bastasse a falta de conservação da estrada, em todo o seu trecho restaram apenas 7 quilômetros para receber o asfaltamento, onde o governo do Estado já investiu em revestimento primário, entretanto, permanecendo a obra parada e sem a devida atenção para que fosse concluída, o serviço foi perdido e o dinheiro do contribuinte investido em vão.
 

 
Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos