Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 20 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Delcídio defende registro do São João de Corumbá como bem cultural

24 Jun 2010 - 07h40Por Fátima News com Assessoria

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) defende o registro nacional do Arraial do Banho de São João, de Corumbá, como bem cultural de natureza imaterial.A festa, que dura uma semana e tem seu ponto alto na noite de 23 de junho, quando os fiéis descem a Ladeira Cunha e Cruz carregando andores com o santo para banhá-lo no Rio Paraguai, já é considerada bem imaterial em nível estadual.

“É uma festa popular, religiosa, que todos os anos reúne milhares de pessoas em Corumbá.Nela, temos a  oportunidade de mostrar a nossa cultura, o siriri, o cururu, em uma celebração que destaca a alma do corumbaense e tudo aquilo que consolidamos ao longo de uma vida  de projeção de uma cidade que, de certa maneira,  encara o espírito de todo sul-mato-grossense, que teve participação efetiva em grandes eventos do nosso país”, afirmou Delcídio em pronunciamento na tribuna do Senado.

O parlamentar destacou que o processo de registro em nível nacional do Arraial do Banho de São João foi iniciado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, que incluiu a proposta entre os 27 projetos do PAC das Cidades Históricas. O assunto está sendo debatido desde segunda-feira em um encontro que reúne gestores de órgãos federais e estaduais da área cultural,no Centro de Convenções Miguel Gomez, em Corumbá.

O senador lamentou não participar este ano da tradicional descida dos andores na Ladeira Cunha e Cruz, em função da votação, no Congresso, do projeto que cria a Petrosal (empresa estatal proposta pelo governo para cuidar da exploração do petróleo da camada Pré-Sal), marcada para esta quarta-feira.

“Infelizmente eu não poderei estar presente ao Banho de São João deste ano,  como faço todos os anos em que a celebração acontece próximo a um final de semana. Mas eu não posso deixar de destacar aqui a importância da festa para  Corumbá, que recebe milhares de pessoas de vários municípios de Mato Grosso do Sul e até de outros estados, movimentando o turismo, gerando empregos e renda para os moradores. É uma celebração onde a população  vai à rua. São mais de cem andores descendo a ladeira do Porto Geral, em uma tradição cultural que vem dos idos de 1800 e  que avança pelo século XX. E ainda tem a crença popular de que quem passa embaixo do andor casa no máximo um ano depois, o que confere uma característica única ao evento. Corumbá inteira vira uma festa com danças como o chamamé e a polca paraguaia”, explicou.

Delcídio pediu que o pronunciamento fosse inserido nos anais do Senado e aproveitou para homenagear Agripino Soares de Magalhães, integrante do grupo de músicos que mantém viva a tradição da viola de cocho no Pantanal.

“Com muita honra, eu nasci em Corumbá, filho de uma família de pantaneiros, e quero destacar um das figuras importantes da nossa cultura,  o “Seu Agripino”,  uma pessoa querida, amada na minha cidade, que, recentemente, teve alguns problemas de saúde, mas que, graças a Deus, está de volta com seu grupo de cururueiros que ,há gerações, orgulha a minha região. Ele é  um símbolo da tradição dos tocadores de viola de cocho do nosso Pantanal”, resumiu o senador.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)