Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 14 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Dados dos EUA fazem dólar fechar em queda, a R$ 1,912

15 Jun 2007 - 16h38

O dólar voltou a se aproximar de R$ 1,90 nesta sexta-feira, exatamente um mês depois de ter rompido a barreira dos R$ 2, com dados que mostraram inflação comportada nos Estados Unidos.

O dólar encerrou o dia a R$ 1,912, em queda de 0,83%, na terceira sessão seguida de baixa. Na mínima do dia, a moeda norte-americana chegou a R$ 1,906.

O índice de preços ao consumidor dos EUA (CPI, na sigla em inglês) avançou 0,7% em maio, mas o núcleo da inflação subiu apenas 0,1% - abaixo do esperado. O dado reduziu as apostas de que o Federal Reserve poderia elevar o juro em breve.

Na quinta-feira, o dado de preços no atacado já havia tranquilizado o mercado a respeito dos riscos inflacionários.

O rendimento dos Treasuries de 10 anos, que chegou a superar 5,3% durante a semana, voltou para cerca de 5,16% nesta tarde. As bolsas de valores norte-americanas subiram e a Bolsa de Valores de São Paulo superou 54 mil pontos.

"O dado de inflação lá fora deu um ânimo muito grande, alavancou o mercado", afirmou Vanderlei Arruda, gerente de câmbio da corretora Souza Barros. "O ambiente local continua muito tranquilo e, com esses dados, o dólar veio abaixo."

O gerente explicou que o aumento na oferta de dólar nesta sessão também colaborou para a queda expressiva da cotação.

Segundo Arruda, muitas empresas e exportadores que estavam segurando dólares na expectativa de que a moeda pudesse subir um pouco mais acabaram colocando os recursos no mercado nesta sexta-feira, ao perceberem que o dólar poderia cair mais.

O leilão de compra de dólares feito pelo Banco Central perto do fechamento fez a moeda reduzir levemente a queda, mas não enxugou o excesso de divisas no mercado. O BC aceitou ao menos cinco propostas, segundo operadores.

Na semana, o dólar acumulou baixa de 2,45%, depois de ter se valorizado 3,05% na semana passada, quando o temor de juros mais altos nos EUA provocou queda nas bolsas.

De acordo com Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio da Action Corretora, o mercado de câmbio está bastante atrelado ao comportamento das bolsas de valores.

Analistas explicam que a bolsa paulista atrai investidores estrangeiros, que acabam trocando dólares para ingressar no mercado.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto
TRAGEDIA
Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante
ACIDENTE DE TRANSITO
Caminhão passa por cima de veículos e explode em grave acidente
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Marilda (Letícia Spiller) é flagrada nua e finge ser uma assombração
BNDS
“Se não abrir a caixa preta do BNDES, está fora!”, diz Bolsonaro sobre Levy
FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concursos oferecem mais de 1 mil vagas e salários de até R$ 6,6 mil no MS
NOVA EQUIPE
Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília