Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 23 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Curso aborda o autismo em Caarapó

30 Jul 2007 - 13h52
Termina hoje, em Caarapó, o curso de Educação de Autistas Uma proposta pedagógica possível, promovido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), em parceria coma Secretaria Municipal de Educação. Os assuntos abordados são relativos às diferenças no estilo cognitivo, estilos de pensamento e processo de discriminação e realização no autismo, e estão sendo debatidos sob a coordenação da pedagoga Diva Aracelis Delosi Rocha, de Assis-SP.

A cerimônia de abertura do evento foi realizada ontem pela manhã, na Câmara de Vereadores, com a presença da secretária municipal de Ação Social, Ivete Gilda de Paula Gimenes, que representou o prefeito Mateus Palma de Farias (PR), do secretário de Educação e Esportes, Ismael Martins Guevara, do vice-presidente da Apae, Leônidas Ignácio Moreno, da diretora-administrativa da Escola de Educação Especial “Júlio César Nobre”, Marinalva de Souza Farias da Costa, do secretário municipal de Saúde, Paulo César Gonçalves, e da auto-defensora da Apae, Maria Girlene da Silva.

O curso – dirigido a educadores, pais e coordenadores das redes municipal e estadual de ensino, Apae e representantes do Núcleo de Educação Especial da Secretaria de Estado de Educação em Caarapó -, prossegue hoje, até o meio-dia, na Câmara de Vereadores. No período da tarde, serão realizadas oficinas no salão de eventos da Apae.

A mensagem transmitida aos participantes do curso ressalta que os sistemas de ensino devem se transformar para realizar uma educação inclusiva, que responda à diversidade dos alunos sem discriminação. Assim, o curso tem a finalidade de qualificar a prática pedagógica para o atendimento educacional de pessoas com autismo.

O trabalho do educador com pessoas portadoras de autismo é fundamentalmente o de ver o mundo através de seus olhos e usar esta perspectiva para ensiná-los a funcionar inseridos em nossa cultura, de forma o mais independente possível.

Enquanto não pudermos curar os déficits cognitivos subjacentes ao autismo, é pelo seu entendimento que poderemos planejar programas educacionais efetivos na função de vencer o desafio deste transtorno do desenvolvimento tão singular que é o autismo.

A melhor forma de traduzir a implementação da “cultura do autismo” pode ser resumida em uma frase: “Não é a criança que deve entender o método, mas é este - o método -que deve ajudá-la a entender o mundo.”
 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BBB 19
Vanderson é eliminado e vai prestar depoimentos sobre casos de agressão
INVESTIGAÇÃO
Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso
HEROI
Porteiro ganha homenagem: salvou criança de 3 anos que caiu na piscina (VIDEO)
FAMOSIDADES
Aos 67 anos, Amado Batista assume namoro com jovem de 19 anos de idade
LUTO - TV
Ator Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente
ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes