Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 19 de março de 2019
prefeitura VICENTINA Março 2019
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Cuca quer São Paulo com atitude de campeão contra o Guarani

28 Ago 2004 - 07h52
Atitude de campeão. É isso o que o técnico Cuca quer ver no São Paulo contra o Guarani, neste sábado, às 16h, no Morumbi, para o time voltar à zona da Libertadores.

"Temos que ter conscientização e atitude para vencer o jogo. O momento é ideal para isso. Se deixar para depois, o campeonato afunila e fica difícil. Vamos jogar em casa e aproveitar o bom retrospecto como mandante para ganhar", disse o treinador.

Na sexta-feira, antes do treino, ele reuniu os jogadores e, segundo o meia Souza, o recado não poderia ter sido mais direto. "Ele chegou para a gente e cobrou mais atitude. Não podemos mais oscilar. O Cuca nos falou da importância e da força do São Paulo e estamos motivados para pegar o Guarani."

Jogador mais experiente da equipe, o volante César Sampaio disse que o time precisa ter maturidade para se manter linear no segundo turno. "O nosso time tem qualidade para chegar. Tirando o Santos, único que está jogando bonito, as outras equipes estão muito próximas", afirmou.

Na conversa com os atletas, Cuca destacou que, além da necessidade de vencer para subir na classificação, uma vitória diante do time de Campinas vai ter um reflexo junto aos torcedores.

"Estamos fazendo dois jogos bons e depois caímos. Na hora da arrancada, o time não pega. Precisamos da atitude para vencer e iniciar a subida. Isso dá confiança ao torcedor para ir ao estádio."

Com 44 pontos e em sétimo lugar, o São Paulo já faz projeções para alcançar Santos e Palmeiras, que têm 47 pontos. Para isso, Cuca já vislumbra o jogo com o Coritiba, próximo compromisso do São Paulo, também no Morumbi.

"Se conseguirmos as duas vitórias e, dependendo de outros resultados, poderemos ficar entre os quatro, ou até ficar em segundo. Mas tem que ganhar", disse.

A primeira medida para tornar o São Paulo mais efetivo é tirar o time do que Cuca chama de "zona do conforto". "Na Olimpíada, um atleta da República Dominicana (Félix Sanchez) se superou treinando de madrugada e levou o ouro. Aqui, nosso pensamento é o mesmo. Às vezes o jogador está relaxado, acostumado com a situação. A idéia é tirar o algo mais, a entrega, melhorar a deficiência."

Mas se a estratégia psicológica está bem trabalhada, dentro de campo muita coisa ainda precisa ser feita. Com Luis Fabiano vetado e sem saber se poderá contar com Vélber (dores no tendão de aquiles), Cuca estuda a hipótese de recorrer a Grafite ou Rondón.

O atacante, que havia sido afastado para melhorar a forma física e cuidar do lado emocional, foi relacionado para a partida. "Todos sabem que a semana não foi boa. Acho que o Grafite aproveitou a semana de exercícios e pensou bastante", disse Cuca.

Gabriel, testado para jogar como ala-esquerdo, vai ficar como opção. Ele não agradou nos treinamentos, e Jean irá atuar.

SÃO PAULO
Rogério; Fabão, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Alê, César Sampaio, Souza e Jean; Diego Tardelli e Vélber (Rondon ou Grafite).
Técnico: Cuca

GUARANI
Jean; Dida, João Carlos, Juninho e Emerson; Roberto, Careca, Douglas e Netinho; Sandro Hiroshi e Valdir Papel.
Técnico: Agnaldo Liz

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Horário: 16h
Juiz: Paulo César de Oliveira (SP)

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo