Menu
SADER_FULL
RIO_DOURADOS
Busca
SUCURI_MEGA
Brasil

Crimes apontados no relatório podem levar Bernal à prisão, dizem vereadores da CPI

19 Set 2013 - 16h00Por Mídia MAx
Ao final do relatório apresentado desde o início da manhã desta quinta-feira (19) no plenário da Câmara de Campo Grande, os vereadores terminaram a leitura por volta das 13h e concluíram que Bernal teria cometido uma “quantidade significativa de ilicitudes e irregularidades”, cometendo os crimes de responsabilidade fiscal e prevaricação.

As infrações políticas administrativas apontadas no relatório foram de responsabilidade fiscal por não ter gerido com integridade a administração, o que levou a prefeitura a realizar inúmeros contratos emergenciais. O inquérito será encaminhado ao Tribunal de Contas, Ministérios Públicos, Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e Controladoria Geral da União.


Minamar Junior

Segundo o relatório, lido pelo vereador Elizeu Dionizio (PSL), o crime está previsto no artigo 89 da Lei 8666. “O prefeito não respeitou a formalidade necessária nos processos licitatórios”. O crime é passível de pena de 3 a 5 anos, mais multa.

Outra infração percebida pelos vereadores é a adminssão ou vantagem ou prorrogação contratual sem autorização, além do pagamento de fatura com preterição, com pena prevista de 2 a 4 anos de prisão, mais multa.

“Além do artigo 319 do Código Penal Brasileiro, que é o crime de prevaricação, podendo acrescentar mais de três meses a um ano de detenção, além da multa”, disse o relator.

Os vereadores encontraram violações ao artigo 42 da Lei 8666, que proíbe o pagamento de empresas fora do cronograma, exceto quando justificado, além do ferimento à Lei 8429 e ao Decreto 201, de 1967.

Mais cedo, o Midiamax adiantou que o relatório final apontaria que o prefeito Alcides Bernal (PP) seria acusado pelos crimes de improbidade administrativa e prevaricação.

Os vereadores da comissão já decidiram que não vão pedir a abertura de Comissão Processante que poderá cassar o prefeito, porém ao apontar estes crimes o prefeito poderá responder na Justiça e as irregularidades também serão mandadas aos órgãos competentes.

As contratações emergenciais e sem licitações das empresas Salute, Mega-Serv e da Jagás serão parte da base de argumentação para o pedido de responsabilização do prefeito.

“As contratações emergenciais recorreram da inadimplência por parte do executivo municipal, criando assim a fabricação de cenários emergenciais e caracterizando uma cadeia de atos irregulares e ilegais provocando por consequência a inclusão de tais contratações na análise da presente investigação”, afirmou em leitura o relator Elizeu Dionízio (PSL).

Segundo o relator, as contratações emergenciais irregulares devem “imputar fator agravante e censurável à conduta do executivo municipal, sendo dever de ofício desta CPI demonstrar e solicitar, mesmo que aos órgãos competentes, a responsabilização dos agentes públicos envolvidos”.

A improbidade administrativa está descrita na Lei Federal nº 8429, de 2 de junho de 1992 e a prevaricação consiste em crime funcional, praticado por funcionário público contra a Administração Pública, em retardar, deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal.

A reportagem aguarda resposta da Prefeitura de Campo Grande quanto a defesa do prefeito para tais acusações por parte dos vereadores para publicação.

(Com informações de Pio Redondo e Fernanda Kintschner)

Ouça o áudio de trecho da fala do relator responsabilizando o prefeito abaixo:

Deixe seu Comentário

Leia Também

Acerto de Contas
Mulher é assassinada e companheiro é poupado pelos bandidos
Macabro
Filho que escondeu corpo de pai pode ser indiciado por três crimes
Novela
'Deus salve o rei': Catarina (Bruna Marquezine) mata Constantino
Novela Global
'Outro lado': Gael luta contra violência doméstica no fim
Monstro
Câmera flagra irmão à procura de menina que teria sido abusada por prefeito de Bariri
Perigo do Selfie
Três garotas caem de ponte de 20 metros ao tirarem fotos em Castelo
Campanha de filiações
Prisão de Lula faz disparar filiações ao PT
O Apocalipse
Arthur (Junno Andrade) fala na TV que Ricardo (Sergio Marone) ressuscitou em seu velório
BBB 18 - Vencedora
Veja a casa de Gleici, do'BBB 18': Sister teve o pai assassinado pelo tráfico e passou fome
Concurso Público
Polícia Federal publica autorização para promover concurso público com 500 vagas