Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 12 de dezembro de 2018
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Criança de 2 anos morre afogada em caixa d´água do quintal de casa

10 Set 2013 - 16h39Por G1

Foi velado nesta terça-feira (10) o corpo do  menino de dois anos que morreu afogado em uma caixa d’água na noite de segunda-feira (9), no bairro Santarenzinho, no município de Santarém, oeste do Pará. O velório ocorreu na Igreja de Deus no Brasil.

De acordo com a polícia, Robert Gabriel Farias foi encontrado inconsciente pelo irmão de 20 anos. Ele chegou a ser socorrido e levado pelo pai ao posto de saúde do bairro. Os profissionais do posto tentaram fazer reanimação cardiopulmonar, mas o menino não resistiu e morreu.

O reservatório de água fica no quintal da casa. De acordo com a polícia, em depoimento, a família afirmou que a criança era acostumada a tomar banho na caixa d'água sempre acompanhada do pai, mas na segunda (9), o menino foi sozinho e, como o recipiente estava cheio, se afogou.

O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), passou por exames e foi liberado no mesmo dia para a família.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Aranha descobre marca de pata de gato de Gabriel, tira foto e conta aos guardiã
SUSTO
Celular pega fogo no bolso da calça e deixa homem com queimaduras na perna e mãos
PROCURADO
Com prisão decretada desde setembro, Dado Dolabella é considerado foragido da Justiça
DICAS DE MARKETING
5 dicas de marketing para um negócio de dropshipping
CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede