Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 27 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

CRF denuncia que 52% das farmácias do Estado estão irregulares

26 Jul 2007 - 06h05
 

O presidente do CRF/MS (Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso do Sul), José Antônio Paniago, denunciou, durante reunião realizada hoje à tarde na Promotoria do Consumidor, que 52% das 889 farmácias e drogarias do Estado estão irregulares. De acordo com ele, apenas em Campo Grande são 199 estabelecimentos irregulares de um total de 281, ou seja, 71% estão com algum tipo de pendência junto ao CRF/MS, enquanto no interior do Estado 260 das 608 estão irregulares, ou seja, 43%.

Segundo Paniago, são consideradas irregulares os estabelecimentos que não têm certidão de regularidade, apesar de muitos terem o alvará de funcionamento expedido pela Vigilância Sanitária que esquece de exigir se o dono da farmácia ou drogaria está regular junto ao CRF. “Apenas em 2006, nos realizamos 5.270 fiscalizações e foram expedidas 900 multas que variam de R$ 400 a R$ 1,2 mil”, revela, exigindo o cumprimento da Lei Federal nº 5.991, de 17 de dezembro de 1973, que dispõe sobre o controle sanitário do comércio de medicamentos e estabelece a presença obrigatória de técnico responsável inscrito no CRF.

O comércio de produtos que não sejam medicamentos e a falta de farmacêuticos em tempo integral em alguns estabelecimentos foram os temas debatidos na reunião de hoje à tarde na Promotoria do Consumidor. O promotor de Justiça Francisco das Neves Júnior, da Promotoria do Consumidor, informou que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fez uma consulta pública sobre a opinião da população e um dos assuntos é a venda de produtos que não sejam medicamentos nas farmácias.

“Vamos pegar essa consulta e analisar se a população quer o fim do comércio desses produtos nesses estabelecimentos”, disse Francisco Jr., explicando que, dependendo do resultado, vai propor a assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) pelos donos de farmácias e drogarias do Estado se comprometendo a não comercializarem mais produtos alheios à farmacologia.

No entanto, o representante da diretoria do Siprofarm/MS (Sindicato dos Proprietários de Farmácias de Mato Grosso do Sul), José Lotfi Corrêa, informou que a Rede São Bento tem um amparo legal para vender produtos alheios a medicamentos. Nesse caso, o promotor de Justiça disse que pode tentar derrubar a decisão judicial e adotar medidas mais rígidas contra a rede.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda