Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 22 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Crédito imobiliário deve dobrar nos próximos anos, diz especialista

15 Mai 2007 - 13h00
O superintendente da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), José Pereira, participou nesta segunda-feira (14) de chat do G1 e tirou dúvidas dos leitores sobre o financiamento da casa própria.

O especialista ressaltou que nunca tanto dinheiro circulou no país com o objetivo de financiar residências – e a tendência é que esse montante continue a crescer. “Hoje, o crédito imobiliário está em 5% do PIB (Produto Interno Bruto) no Brasil. Em cinco ou dez anos, isso deve dobrar”, afirmou.

Escolher um financiamento imobiliário não é uma tarefa fácil. As taxas de juros variam conforme o banco, a renda do tomador do empréstimo e o risco representado pelo cliente. Por isso, diz Pereira, é preciso fazer muita pesquisa antes de se optar por uma instituição financeira. “É importante fazer uma pesquisa de mercado para ver qual é o banco que oferece as melhores condições para o seu caso”, disse o superintendente da Abecip a um dos participantes do chat.

Veja abaixo as principais dúvidas respondidas:

 Taxa de juros
"Não está relacionada à taxa Selic. A legislação estabelece a taxa máxima que o banco pode cobrar: 12% (ao ano). Hoje, o mercado pratica taxas um pouco inferiores a isso. Em alguns casos, existem taxas de 9%, 10%".

 Imóvel para investimento
"Comprar para investimento é sempre uma possibilidade, mas qualquer investimento sem ser de remuneração (a juros) pode ser arriscado. O valor pode aumentar ou cair".

 Crédito para reforma
"É perfeitamente possível. A operação é normal, qualquer banco tem linha de crédito para isso".

 Uso do FGTS
"Tem algumas condições. Primeiro o imóvel tem de se enquadrar, não podendo superar os R$ 400 mil em valor. A pessoa pode usar o FGTS no momento da compra, durante o financiamento ou para abater parte da prestação. (O mutuário) pode ainda juntar recursos próprios com o saldo do FGTS e quitar o imóvel".

 O PAC e a habitação
"O PAC prevê uma série de medidas e recursos voltados para a área de empréstimo imobiliário. Lá está que os recursos da poupança devem atingir R$ 42 bilhões, o que é bastante razoável".

 Garantias pelo financiamento
"A operação mais comum é dar o próprio imóvel (como garantia), mas dá para usar outros (bens) também. Qualquer bem é válido para dar garantias".

 Compra na planta

"Não tem nenhuma relação com a taxa de juros. Cada construtora tem a sua condição. É bom observar as condições de pagamento, ter uma avaliação perfeita de quanto se terá de pagar durante o financiamento".

 

 Renda

"Não existe renda mínima para se obter um financiamento imobiliário. Normalmente, o sistema prevê que a prestação não deva superar entre 20% ou 25% da renda (do mutuário)".

 

 Morte do mutuário

"Se (o financiamento) é do sistema financeiro (da habitação), há um seguro, basta acessar esse seguro. Quem pagou prestações depois da morte (do titular) pode até ter seu dinheiro devolvido".

 

 

 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

BARBÁRIE
Mulher sobrevive a tentativa de feminicídio, mas fica tetraplégica
MAIOR PEDRA DO MUNDO
Homem de 51 anos passa por cirurgia e tem pedra de 1,3 Kg na bexiga
CAMPO BELO RESORT - DIA DOS NAMORADOS
Dia dos Namorados com programação especial e romântica no Campo Belo Resort, faça sua reserva
TRAGEDIA NA RODOVIA
Estudante morre e dez ficam feridos em acidente com ônibus de universitário
DICAS - TECNOLOGIA
Como usar o Whatsapp para impulsionar os negócios
FURIA ASSASSINA
Homem invade igreja e mata três após esfaquear ex-namorada
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Os lugares mais belos do Rio Sucuri em Bonito Mato Grosso do Sul!
FAMOSIDADES
Com quadro de AVC, Agnaldo Timóteo é internado na Bahia
MONSTRUOSIDADE
Pai bate em bebê até a morte por ela ter nascido menina
HOMICIDIO - MISTÉRIO
Filho de 9 anos encontra pai morto no banheiro de casa