Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 23 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Correios estudam criar companhia aérea própria

29 Ago 2007 - 05h05
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) está estudando a possibilidade de criar uma companhia aérea para transporte de encomendas. O presidente dos Correios, Carlos Henrique Almeida Custódio, disse hoje que a formatação deste modelo de operação será concluída até o fim do ano. A idéia é buscar um parceiro na iniciativa privada, mas o governo seria o controlador desta nova companhia.
 
"O que a gente pretende é que este modelo seja de controle da empresa (dos Correios), mas de gestão privada", afirmou. Se a proposta for aprovada, a ECT faria um chamamento público para a escolha desse sócio estratégico. "Vamos abrir para todas as empresas do ramo com expertise em logística e transporte aeronáutico", afirmou.
 
Segundo Custódio, esta empresa nasceria já com um faturamento de R$ 500 milhões, que é o custo que os Correios têm anualmente com o transporte de encomendas feito por companhias aéreas comerciais. O presidente dos Correios não quis revelar quanto seria necessário de investimento para a criação desta subsidiária.
 
Os Correios, segundo ele, estão conversando com a Embraer para a fabricação de um avião cargueiro, que teria a vantagem de ser menor que os aviões comerciais e, portanto, facilidade de pousar em aeroportos pequenos. Ele não quis revelar se há entendimentos para a Embraer ser este possível sócio, apenas afirmou: "Seria um bom nome, mas não conseguiria dizer se eles têm foco neste negócio", afirmou.
 
CPI
 
A proposta de criação desta subsidiária surgiu com a CPI dos Correios, em 2005, e com as determinações de órgãos de controle do governo, como o Tribunal de Contas da União (TCU), para que a gestão da ECT fosse mais profissionalizada. Os estudos, segundo Coutinho, também fazem parte do planejamento estratégico dos Correios.
 
Comércio eletrônico
 
O presidente dos Correios disse que a demanda por transporte de encomendas aumentou com o comércio eletrônico, como compras pela internet. Segundo ele, no ano passado, este mercado cresceu 74%. "Agora, alguém tem que entregar e os Correios querem ser líderes de mercado nesse segmento também", afirmou.
 
BNDES
 
Ele disse que os Correios dispõem de recursos para fazer essa operação e que contam também com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O faturamento da ECT no ano passado foi de R$ 8,6 bilhões e o lucro ficou em R$ 396 milhões. Coutinho explicou que este não é um negócio de curto prazo, já que não há aeronaves disponíveis no mercado.
 
 
 
Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

BBB 19
Vanderson é eliminado e vai prestar depoimentos sobre casos de agressão
INVESTIGAÇÃO
Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso
HEROI
Porteiro ganha homenagem: salvou criança de 3 anos que caiu na piscina (VIDEO)
FAMOSIDADES
Aos 67 anos, Amado Batista assume namoro com jovem de 19 anos de idade
LUTO - TV
Ator Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente
ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes