Menu
SADER_FULL
terça, 20 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Correios estudam criar companhia aérea própria

29 Ago 2007 - 05h05
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) está estudando a possibilidade de criar uma companhia aérea para transporte de encomendas. O presidente dos Correios, Carlos Henrique Almeida Custódio, disse hoje que a formatação deste modelo de operação será concluída até o fim do ano. A idéia é buscar um parceiro na iniciativa privada, mas o governo seria o controlador desta nova companhia.
 
"O que a gente pretende é que este modelo seja de controle da empresa (dos Correios), mas de gestão privada", afirmou. Se a proposta for aprovada, a ECT faria um chamamento público para a escolha desse sócio estratégico. "Vamos abrir para todas as empresas do ramo com expertise em logística e transporte aeronáutico", afirmou.
 
Segundo Custódio, esta empresa nasceria já com um faturamento de R$ 500 milhões, que é o custo que os Correios têm anualmente com o transporte de encomendas feito por companhias aéreas comerciais. O presidente dos Correios não quis revelar quanto seria necessário de investimento para a criação desta subsidiária.
 
Os Correios, segundo ele, estão conversando com a Embraer para a fabricação de um avião cargueiro, que teria a vantagem de ser menor que os aviões comerciais e, portanto, facilidade de pousar em aeroportos pequenos. Ele não quis revelar se há entendimentos para a Embraer ser este possível sócio, apenas afirmou: "Seria um bom nome, mas não conseguiria dizer se eles têm foco neste negócio", afirmou.
 
CPI
 
A proposta de criação desta subsidiária surgiu com a CPI dos Correios, em 2005, e com as determinações de órgãos de controle do governo, como o Tribunal de Contas da União (TCU), para que a gestão da ECT fosse mais profissionalizada. Os estudos, segundo Coutinho, também fazem parte do planejamento estratégico dos Correios.
 
Comércio eletrônico
 
O presidente dos Correios disse que a demanda por transporte de encomendas aumentou com o comércio eletrônico, como compras pela internet. Segundo ele, no ano passado, este mercado cresceu 74%. "Agora, alguém tem que entregar e os Correios querem ser líderes de mercado nesse segmento também", afirmou.
 
BNDES
 
Ele disse que os Correios dispõem de recursos para fazer essa operação e que contam também com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O faturamento da ECT no ano passado foi de R$ 8,6 bilhões e o lucro ficou em R$ 396 milhões. Coutinho explicou que este não é um negócio de curto prazo, já que não há aeronaves disponíveis no mercado.
 
 
 
Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)