Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 20 de julho de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Corinthians enfrenta o Vasco e tenta voltar a vencer no Brasileiro

13 Out 2010 - 10h51Por Folha Online

Sem vencer há cinco jogos, sem técnico e sem uma cara definida. O Corinthians leva todos os seus problemas para o Rio, onde enfrenta o Vasco às 22h, em busca de uma saída para a crise em que se meteu nos últimos dias.

A partida de hoje foi adiada na 18ª rodada --deveria ter sido disputada em 1º de setembro, exatamente a data do centenário do clube, quando tudo era festa e o único rival entre o Corinthians e o título era o Fluminense.

Hoje o time está em terceiro lugar, com 49 pontos, três a menos que o Fluminense e a cinco de distância do Cruzeiro. Dos últimos 15 pontos que disputou, o Corinthians conquistou apenas dois.

Os maus resultados trouxeram a pressão da torcida. Também insatisfeita, a diretoria entregou a cabeça do técnico Adilson Batista.

Enquanto o presidente Andres Sanchez correu para o Rio de Janeiro atrás de um técnico, o time ficou sob orientação de Fábio Carille, 37, ex-auxiliar de Adilson Batista, mas contratado em janeiro de 2009 a pedido de Mano Menezes, com quem havia estagiado no Grêmio.

"Acho que não dá para dizer se o time vai ser mais parecido com o do Adilson ou com o do Mano", afirmou Carille. "Mas a minha maior preocupação é dar tranquilidade ao sistema defensivo."

A zaga, que sofreu 14 gols nos últimos seis jogos, era o grande alvo dos que criticavam Adilson Batista --atletas e cartolas incluídos.

Carille citou pelo menos cinco vezes o "sistema defensivo" em suas respostas, durante a entrevista coletiva que concedeu ontem à tarde, no Centro de Treinamento.

"O momento agora é de resgatar o sistema defensivo", disse, ao justificar a escalação de William e Chicão, que não jogam juntos há mais de um mês. "É a dupla que está junta desde 2008, em quem a torcida confia. A ideia é dar tranquilidade."

Na derrota para o Atlético-GO por 4 a 3, a zaga foi formada por Thiago Heleno e William, que no segundo tempo foi substituído por Chicão. A troca colaborou para a demissão de Adilson.

Além de mexer na zaga, Carille vai mudar a forma de jogar de laterais e volantes. "A ordem é para que só um volante ataque de cada vez, essa é a orientação", disse.

Com o antecessor, era comum ver os volantes corintianos no campo do adversário, mais preocupados em roubar a bola perto do gol do oponente do que em proteger os laterais. Apesar de tanta preocupação com a zaga, Carille diz que vencer no Rio "não será um milagre".

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082
VIOLENCIA
Motorista atropela manifestantes do MST e mata um idoso